sábado, 25 de março de 2017

Guest Post: Kuzu no Honkai - Episódio 11

Pessoas podem mudar, é claro. Um arrogante egocêntrico pode encontrar a humildade; criminosos podem encontrar arrependimento, ateus podem encontrar-se na igreja e vice-versa. Mas há um tempo, um limite. Obliterar um modus operandi não vem do vazio. Há um trauma, um gatilho que parte o espírito refratário.

Captura de tela 2017-03-24 11.47.18.png

segunda-feira, 20 de março de 2017

domingo, 19 de março de 2017

Guest Post: Kuzu no Honkai - Episódio 10

Change. Mudança. Várias foram as vezes em que esta palavra e derivadas foram pronunciadas na dezena de Kuzu. Obviamente direcionada aos personagens, é na trama onde ela melhor se encaixa no momento. A ardilosidade entre a escória e seus desejos ainda está lá. A essência inicial da obra está lá. Mas este não é mais a única vista possível, quanto mais o único futuro alcançável.

sexta-feira, 17 de março de 2017

Fãs Usam Gerador de Memes para Criticar GiTS: A Vigilante do Amanhã

A equipe de marketing do novo filme da Scarlett Johansson A vigilante do Amanhã: Ghost In The Shell criou uma ação para promover a estreia do longa, apostando no famigerado efeito meme com o site “I am Major” onde o fã cria uma frase de efeito em cima de um foto sua, a fim de viralizar o “Eu sou a Major”, com direito a  hashtag #iammajor e tudo. 

segunda-feira, 13 de março de 2017

Ghost in the Shell (1995)

Saudações do Crítico Nippon!

Adaptado do icônico mangá de Shirow Masamune, Ghost in the Shell ganhou vida em 1995 pelo consagrado Mamoru Oshii, quando a internet ainda engatinhava. Assim, seus méritos “proféticos” em termos de ciberespaço e questionamentos de Homem x Máquina se tornam ainda mais impressionantes. Era uma época em que o mundo estava mergulhado no medo dos avanços tecnológicos, representado no Ocidente, por exemplo, com Exterminador do Futuro (84) e Blade Runner (82) (e Ghost in the Shell lembra imensamente a obra máxima de Ridley Scott). E, no Oriente, um dos representantes máximos certamente é a trajetória da Major Motoko Kusanagi.

domingo, 12 de março de 2017

Guest Post: Kuzu no Honkai - Episódio 09

Antes tarde do que nunca, aos que ainda persistem em dúvidas, fica claro que Kuzu é, afinal, um conto sobre a tempestuosa jornada da adolescência. Com tremendo foco nos sentimentos e desejos carnais, o que é compreensível tendo em vista o florescimento hormonal da faixa etária, mas ainda assim, com traçados psicológicos proeminentes, e não um fetichismo barato.

sábado, 11 de março de 2017

Carta Aberta Aos Leitores

Há quanto tempo não escrevo aqui, não é verdade? Para quem me acompanha mais de perto, sabe que minha vida passou por umas tri-riravoltas loucas e atualmente passo por um momento onde a realidade se tornou minha alucinação de suportar o dia-a-dia e a vida o meu delírio com experiências com coisas reais – parafraseando o grande poeta-compositor do existencialismo Belchior.

sábado, 4 de março de 2017

Guest Post: Kuzu no Honkai - Episódio 08

Sem pensar muito, o foco semanal de Kuzu se dá nas declarações de Hanabi e Mugi para seus amados professores. Se a conversa entre ambos dava a certeza e conformidade com a rejeição, a voz interna na hora das revelações sugere ideais diferentes, o que é demonstrado nas situações que sucederam os encontros.

terça-feira, 28 de fevereiro de 2017

91 Days (2016)

Saudações do Crítico Nippon! 

2016 foi um puta ano foda pros animes, caramba. Escrevi sobre alguns deles (aqui, aqui, aqui, aqui, aqui) (ah, Gantz:O só consegui assistir esse ano e é fenomenal) e citei outros aqui (até os mais ou menos dividiram opiniões, como esse e esse). E 91 Days faz jus aos colegas. E como não poderia, contando com a mesma equipe de uma das séries mais ambiciosas que conheço, Durarara? Lembrando a mesma ambição temática que movimenta os grupos dos Dollars e Lenços Amarelos, 91 Days homenageia inúmeras obras da Máfia em cada detalhe. Temos ascensão e queda de Dons (com muitos beijos na mão, claro), contrabando, execuções dentro de carros, personagens que mudam de lado constantemente (sempre de maneira coerente e plausível), festas de casamento, e, bem, preciso dizer o que acontece quando todos estão reunidos em uma ópera?
(hum, spoilers)