domingo, 19 de setembro de 2010

Kouta


Instintivamente, tenta proteger todas as garotas à sua volta, tendo um coração bom e aberto para todos. Volta para a cidade onde passava o verão quando criança, por causa da universidade. Encontra sua prima, amiga da sua infância, Yuka. Vai morar numa antiga pensão fechada,que ele aluga para morar. Encontra uma garota nua na praia, Nyuu,e a acolhe em sua casa.E quando ele descobre que muita gente esta atrás dela, ele promete defendê-la.Ele "perdeu" parte de sua memória da infância,que era algo relacionado com a terrível morte que seu pai e sua irmã sofreram e que ele estava presente.


Impressões sobre o personagem:


Dessa vez irei falar um pouco do Kouta, que algumas vezes  tem seu nome romantizado como Kohta. Como todo anime e mangá de harém, Kouta vive rodeado por garotas belas e kawaii's. Inclusive tanto no anime quanto no mangá tem uma passagem divertidissima onde a Yuka assim que chega em casa, se depara com a Mayu e diz consigo mesma; "elas estão se multiplicando". Tem uma outra passagem também em que Yuka pede á ele que não leve mais nenhuma garota pra dentro de casa, mas ela se esquece que em todo anime/mangá desse estilo, uma das características básicas é a trama recheada de garotas. Sendo assim, ainda outras garotas iriam para a velha pensão, Nana e Nozomi apareceram logo em seguida, para o desespero da odiada Yuka. Mas o legal do Kouta como protagonista, é que ele não é tão pervertido como Makoto ( de School Days ), mas também não é tão lerdo como o Keitaro ( Love Hina ). Em varias ocasiões em que ele sofreu assedio por parte da Nyu, não se fez de rogado nem um pouco e seu unico receio era a Yuka aparecer na hora e ele ser chutado para longe. Mas Kouta vai além disso e conseguiu cumprir muito bem seu papel como protagonista em um anime forte e denso como Elfen Lied. Claro que ele não foi muito exigido na maior parte da trama, mas estava sempre ali do lado das garotas, apoiando-as e se tornando a figura masculina referencial e agindo e sendo firme quando preciso.

Kouta & Nana


O relacionamento de Kouta e Nana é algo á se destacar, se com as outras garotas ele consegue manter um relacionamento tranquilo ( mesmo que ocasionalmente ele leve uns safanões de Yuka), não se pode dizer a mesma coisa com a relação que ele mantém com Nana. Por vezes parecem dois irmãos que vivem se estranhando mas que no fundo se adoram. Tudo começa quando Nana vê Nyu e sem saber que Lucy estava adormecida naquele momento, á ataca precipitadamente, causando assim a fúria de Kouta. Logicamente, olhando do ponto de vista dele, tem teve toda a razão de ficar furioso; uma estranha aparece do nada e ataca uma criatura doce, pacifica e inocente como a Nyu-chan á quem ele admirava profundamente são motivos mais que validos. Nana de um lado, muito orgulhosa e kouta do outro, autoritário que só ele, rendeu varias paginas divertidas e emocionantes.


Kouta e Yuka


Kouta ao lado de Yuka, funcionaram como pai e mãe para as garotas, principalmente para Mayu que havia fugido de uma casa, onde era abusada sexualmente e encontrou junto á esses dois e Nyu, uma nova família. Nunca ficou muito claro o sentimento que Kouta nutria por Yuka, mesmo este tenha dado "uns pega" nela em determinado momento do mangá, mas é como eu disse lá atrás; Kouta não é um daqueles protagonistas palermas que parecem sofrer aversão á mulheres. Mas no que diz respeito á amor, ao meu ver não havia por parte de Kouta e o fato dele ter terminado ao lado de Yuka, foi por puro comodismo. Afinal, ele já havia perdido Tanto Nyu como Lucy e Yuka estava ali, cheia de amor pra dar e se oferecendo de bandeja para ele. Já tinha toda uma estrutura familiar em volta deles, Yuka  sempre pareceu ser uma garota que cuida dele e da casa, além de ser bonita fisicamente; que garoto na situação em que ele se encontrava, não daria o braço a torcer, ficando ao seu lado da garota que tanto o amava?

Kouta & Nyu


As vezes penso que, o motivo de tanto carinho que Kouta sentia por Nyu, era pelo fato de esta lembrar sua falecida irmã e isto mesmo ele não tendo todas as suas memorias. Ouvi algo uma vez no anime Tsubasa Chronicles que dizia mais ou menos assim; mesmo que não tenha as lembranças na mente, o corpo se lembrará. No anime de Tsubasa era pelo fato de Sakura ter perdido todas as suas memórias que tinha de Shoran e mesmo assim, de alguma forma que ela não entendia sentia forte carinho por ele. E eu creio que isso se aplica no caso de kouta e Nyu. A dobradinha Kouta e Nyu são um dos pontos altos na trama principal, nos proporcionando momentos hilários e dramáticos e é uma pena que o anime não tenha chegado tão longe. Impossível não se emocionar na parte em que o professor Kakuzawa toma a guarda dela na faculdade e esta entra começa á chamar pelo Kouta, pronunciando o nome do garoto pela primeira vez. Ouso á dizer que se Nyu tivesse tido mais tempo pra amadurecer e se tornar mais civilizada, yuka não teria chance alguma. Mesmo não sabendo ao certo o que era esse sentimento, é fato que Nyu amava profundamente Kouta.

Eu, eu mesma e Kouta


Parafraseando o famoso filme de Jim Carrey, vou comentar um pouco aqui sobre o relacionamento de Kouta com as varias "personalidades" de Kaede, começando por ela mesma, a original, mais conhecida como Lucy. Todo mangá, seja este shounen, shoujo ou qualquer outro demográfico, sempre acontece de ter aqueles encontros "casuais" entre o "mocinho" e a "mocinha" da trama, o encontro "casual" dos protagonistas de Elfen Lied é um dos mais clichés no mundo das animações/mangás; garoto encontra com garota na infância e por algum motivo desconhecido, eles se separam e voltam á se encontrar "casualmente" mais tarde. Sei...sei. Mas o interessante não é o fato de ser clichê ou ser original e sim a maneira como o autor da obra trabalha com esse artificio e Lyyn Okamoto foi extremamente feliz ao traçar a história de kouta e Lucy, deixando á bem amarrada e com um texto tão envolvente que não deixou espaço para questionamentos nesse sentindo. A história todo mundo conhece, Lucy, uma orfã que acabara de perder a fé na humanidade, é encontrada "casualmente" por um garoto simpático e disposto á construir uma amizade sincera com ela. Assistir os poucos minutos da felicidade de Lucy ao lado de Kouta, é como sentir uma suave brisa de verão batendo no rosto, mas não dura muito e o enredo volta á ficar pesado. Lucy se apaixona por Kouta ainda na infância, mas é dificil dizer se o mesmo acontece com ele, acredito que sim e mesmo Lyyn Okamoto não ter deixado suficientemente claro, da pra perceber em pequenos gestos e atitudes. Interessante notar também que, já desde novinho Kouta já se sentia divido entre Yuka e Lucy (vide o momento em que ele diz que ama Yuka e logo após se lembra de Lucy), e se acrescentarmos o aparente ciúme exagerado que sua irmã Kanae, sentia por ele, temos ai um pequeno harém.


Kouta perde parcialmente suas memorias devido ao choque de ver sua família mutilada á sua frente e anos depois volta á se encontrar com a mesma Lucy, que lhe causou tanta dor, mas dessa vez ele não se lembra dela e ela e ao ver á sua frente, a pessoa mais importante de sua vida, talvez pelo choque ou receio de confronta-lo acaba assumindo uma nova personalidade. Como ela vem á dizer mais á frente do mangá, a "eu" perfeita, a pessoa que ela queria ser e assim poder ter uma nova chance de poder viver ao lado de Kouta, e então eis que surge a nossa kawaii e amada Nyu. Esse é um outro clichê no mundo do interterimento, principalmente em animações e mangás/quadrinhos, a personagem principal assumir duas ou mais personalidades distintas por algum motivo, cientifico ou sobrenatural, no caso de Lucy é cientifico, apesar que nos momentos finais do mangá, há o que se discutir quanto á aparição de Lucy, Nyu e a terceira personalidade, a chamada "voz do DNA diclonius". Pode se apelar para o lado psicológico, uma vez que somente o kouta conseguia ver a Lucy e a Nyu. Mas ao meu ver fica bem claro que foi um fenómeno para la de sobrenatural que Lynn Okamoto usou, contrastando com a história, que até o momento era estritamente cientifica, mas quem leu o extra que veio no volume 3 do mangá, sabe que fenômenos sobrenaturais é algo bem familiar para o criador de Elfen. Kouta e Lucy protagonizam os momentos mais dramáticos e também os mais belos, tanto no anime quanto no mangá. Não foram poucos os momentos em que Kouta esteve em perigo, com a voz do DNA  de Lucy dizendo á todo momento que tinha que mata-lo e o encontro final entre os dois no anime, foi carregado de romantismo e drama. Kouta teve que lidar com sentimentos contraditórios, pois ao mesmo tempo que odiava aquela pessoa que tinha matado seu pai e sua irmã, também sabia que esta era apenas uma vitima e que acima de tudo ainda á amava, o dialogo entre os dois, foi digno de um "grand finale" realmente e um dos mais lindos e sinceros que já vi em animes. Se Lucy teve que passar por momentos tão horríveis para poder um dia se ver novamente frente á frente do homem que amava para pedir-lhe perdão, creio que a expressão de felicidade no rosto dela ao abraçar Kouta, indica que tudo valeu á pena. Mas esse é um final filler, e no mangá o encontro final entre os dois não deixa nada á dever para o anime, sendo até mais dramático, pois o destino brinca sadicamente com as emoções de Kouta, botando-o em situações parecidas com ás que ele tinha vivido anos atrás, quando disse que não gostava mais de sua irmã, kanae. Fazendo o encarar a pessoa amada completamente desconfigurada á sua frente, não podendo fazer nada para evitar e no climax colocando uma arma á sua mão e fazendo-o tirar a vida de Lucy.


Lynn Okamoto conseguiu deixar as expressões de Kouta altamente convincentes, quem é mais observador já deve ter reparado que os olhos dele sempre pareciam sem vidas em diversas situações, Kouta estava quase sempre aereo e se mostrando extremamente intimista quanto á suas emoções. Nos momentos finais do mangá é onde ele se sobressai sobre os demais personagens, acho lindo e poético como é mostrado que Kouta vai ao mesmo local todos anos, após os festival de versão. No mesmo local que tinha marcado de se encontrar com Lucy e foi recompensado, quando sua filha, Kaede encontra o enigmático bilhete que Lucy lhe escrevera. No bilhete constava:


A pedra á qual ela se refere é a jade que Kouta lhe da no volume 4 do mangá. E nesse momento que ele encontra esse bilhetinho, Kouta consegue o que sempre desejou desde a morte de Lucy, que é ter mais uma vez contato com ela e achando esse bilhete é como que enfim ele pudesse descansar e seguir adiante. Normalmente os finais de mangás deixam muito á desejar, mas Elfen Lied é um exceção, seja no anime ou no mangá, seus respectivos finais foram perfeitos.
E assim Kouta termina sua jornada, conseguindo desvencilhar de velhos clichés, ele não é o tipico protagonista inútil que sempre consegue salvar a mocinha no final, Lynn Okamoto conseguiu deixar Kouta muito humano e bem, se ele não é destaque da série, pelo menos conseguiu ser um personagem mais do que aceitável e sinceramente, nesse mar de protagonistas inuteis e idiotas que assolam os shounes da vida (sei que Elfen é seinen, mas é só tecnicamente neh), Kouta consegue ser um dos melhores fácil fácil.

***
Em uma outra versão do mangá que circula ai pela net, o sentido do que ela escreveu muda um pouco, mas é so questão de interpretação, em inglês também é diferente. Agora fiquei curiosa pra ler a versão da Panini nesse capitulo.Espero que quem chegar á ler esse artigo, tenha achado legal, como Kouta é um personagem bem simples, não havia muito o que dizer e também não queria escrever algo muito didático. Para cada personagem eu escrevo de uma forma diferente, mas sinto que para o Kouta, quebrei todas as regras e se meu professor lesse, talvez me daria um 0 redondo hehehe. Obrigado á quem leu e vejamos sobre qual personagem agora vou comentar....


Cena final, dublada por fãs.


8 comentários :

Jhon Almeida disse...

Pô, parabéns Roberta, belo post. Eu não vou emitir opinião sobre o Kouta (por um motivo confuso, mas quem sabe logo logo eu opino..rsrs) mas tenho que te dizer que foi um excelente post.

Roberta disse...

Obrigada Jhon ;)

Wellington disse...

é verdade ,otimo post li tudim pq sempre vale a pena,nunca dexo de ler qualker post.Sem comentarios pro kouta,ele faz oq eh pra faze no anime msm, ta certo o manolo .Parabens pelo post Roberta ^^

Bassi disse...

Primeiro meus parabens pela sua escrita, nem tão formal e tambem não deixou de ser técnica, continue assim ^^
Esse Kouta deve ter mesmo um imã de mulheres, logo pirralho já conseguiu duas que se apaixonaram loucamente por ele XD
Estou lendo o mangá, realmente a historia fica com mais sentido, no anime cortaram todas as cenas que dão mais tempero ao clima, alem do que tem uns personagens q foram cortados O_o
Mas enfim, bela review!

Roberta disse...

Obrigada Bassi, fico agradescida. :)

Douglas disse...

Estava revendo o anime hoje e encontrei esse site. Parabéns pelo post, sua maneira de escrever da aquele gosto de quero ler mais e realmente o Kouta é foda, sabe dosar seu lado macho e gentil, só fã desse cara.

Roberta Caroline disse...

Eii, então seja bem vindo Douglas e obrigado :)

Jhon Almeida disse...

Pô, parabéns Roberta, belo post. Eu não vou emitir opinião sobre o Kouta (por um motivo confuso, mas quem sabe logo logo eu opino..rsrs) mas tenho que te dizer que foi um excelente post.

Postar um comentário

Os comentários deste blog são moderados, então pode demorar alguns minutos até serem aprovados. Deixe seu comentário, ele é um importante feedback.