quinta-feira, 7 de outubro de 2010

Mariko Kurama



Nome: Mariko Kurama
Pseudónimo: Número 35
Raça: Diclonius
Sexo: Feminino
Idade: 5 anos
Cabelo: Rosa palido
Olhos: Avermelhados
Peso: Extremamente magra



Castelos de Areia

Mariko Kurama, também conhecida como número 35, ela é descrita como a única sobrevivente da geração silpelit (um silpelit é quem nasceu de um infectado por outro silpelit, lembrem-se que Kurama foi infectado no laboratório pela numero 3?. É totalmente ao contrário de quem nasceu de um infecção causada por um diclonius. Complicado?) e é filha de Kurama, é descrita como a mais poderosa diclonius . Durante uma tentativa de fuga da numero 03 (que na verdade era irmã de Nana), Kurama foi infectado por ela (através dos vetores) e se tornou assim um portador do vírus vetor e Mariko nasceu Silpelit. No anime ela possui 26 vetores e no mangá ela chega á ter 50 vetores (imaginem um hentai de Elfen Lied x_x), cada um com aproximadamente um intervalo de 11 metros e essa variação é muito maior no mangá.


Mariko foi presa ainda bebê e cresceu amarrada dentro de um recipiente de aço, seu único contato humano era uma cientista que atuava como uma espécie de mãe adotiva e se comunicava com ela através de altos falantes e monitores. A deficiência física que ela desenvolveu é visto no episódio 11 e no capitulo53 do mangá. Seus membros estão atrofiados e ela só consegue se mover com a ajuda de uma cadeira de rodas.


Apesar do ambiente em que foi criada, Mariko é aparentemente bem desenvolvida psicologicamente. Ela é extremamente sádica e homicida, gosta de torturar e esquartejar suas vitimas. No entanto, sua personalidade não é verdadeiramente má. Ela apenas se diverte fazendo tais atrocidades e vê o ato de matar apenas como um jogo e o prazer que ela sente é equivalente ao de uma criança pisando em formigas. Ela é de fato capaz de se preocupar com os outros e sente um forte amor por Kurama ( oi? é amor fraternal ok hehehe).


Cientes do poder de Mariko e afim de deixa-la sob controle, os cientistas do laboratório implantam bombas em seu corpo (não se sabe quando que foi isso), uma é usada para remover seu braço direito depois de ter atacado a cientista que cuidava dela, quando é enviada para matar Nana, é dado a ela uma prótese. No anime, apôs perceber o mal que tinha causado á sua filha Kurama e sabendo que ela não poderia permanecer  viva se afasta com ela no colo para morrer ao seu lado, assim que a bomba detonasse.


Diversão de garota



-Hahaha que pena, ela não pode mais se mexer!!! (Mariko)
-Ela está brincando na verdade. Com uma crueldade infantil. Inocente...
-Isso é como se ela estivesse arrancando as asas de um inseto... (Declaração de Saitou-san, um personagem secundario, quando Mariko começa á torturar Nana)

O arco de Mariko começa exatamente no capitulo 52 do volume 06 de Elfen Lied, quando Kurama desobedece as ordens do diretor Kakuzawa que lhe obrigava á dar um fim á vida de Nana. Pode se dizer o que quiser sobre Kurama, ele realmente era um filho da puta, mas tinha um carinho sincero por Nana e Mariko, arrependimento por atos passados? Sem dúvida, afinal a própria Mariko nasceu de uma vingança da número 03, irmã de Nana que cansada das torturas que lhe eram impostas, conseguiu fugir por um breve momento, momento este mais que suficiente para infectar Kurama e lhe mostrar como a vida pode ser irónica. Kurama que após descobrir que sua filha recém nascida era uma Diclonius, tentou mata-la com as própias mãos e acabou causando a morte de sua esposa, que não aguentou o choque. Depois ficamos sabendo que, com um acordo com o diabo diretor Kakuzawa, Kurama conseguiu manter Mariko viva, já que com o crescente aumento de crianças infectadas (Silpelits), a ordem era matar todas que chegavam ao conhecimento do centro de pesquisa. Acordo esse que manteve Kurama preso pelas garras de kakuzawa, que sempre o chantageava quando este não obedecia determinada ordem.

Número 03 servindo de cobaia

   Mãe de Mariko em estado de choque ao flagrar o marido tentando matar a filha

Mariko foi mantida presa durante 5 anos de sua vida, sem nunca ter visto a luz do sol (como a maioria dos Diclonius que serviam de cobaias), e o aparato de segurança em volta dela era fortíssimo, isso tudo graças ao fato dela ser considerada a Diclonius mais poderosa, mais até que Lucy, quem sabe (já que tomamos conhecimentos nos capítulos mais á frente que Lucy pode evoluir e ter seus poderes ampliados). Quando ela finalmente é libertada, podemos ver o estado de seu corpo enfraquecido, não conseguindo nem ficar de pé.


Por mais sádica e cruel que pudesse ser, eu sempre afirmo que Mariko era apenas mais um vitima e essa conversa fiada dos tais cientistas de que, Diclonius quando atingem os 3 anos de idade matam os pais, é pura balela. Mariko tinha apenas 5 anos de idade, como já comentei aqui, crianças tendem á ser incrivelmente maldosas, isso é um fato mas não é nada que uma boa conversa e orientação dos pais não possam corrigir. Torturar e ver a expressão de dor no rosto da outra pessoa não é mais que pura diversão para Mariko, um passa tempo como outro qualquer, ela sabe que doi? Claro, afinal ela acha divertidissimo a expressão de dor no rosto da Nana quando á humilha e tortura diante de todos. Satou-san, a cientista que vinha cuidando dela durante 5 anos e a tinha como sua filha e achava que esta também lhe considerava como mãe foi arremessada para bem longe, quando respondeu á uma pergunta na qual Mariko já sabia perfeitamente a resposta. Dois pontos interessantes:



  • Mariko é mais esperta e consciente do que dos Diclonius alojados no mesmo laboratório que são chamados tecnicamente de Silpelits, termo que classifica os que nasceram com chifres devido seus pais terem sido infectados. Um Diclonius puro como a Lucy, nasce de uma relação sexual que pode ser até com um humano comum, desde que a mãe que lhe deu a luz  seja pura e não uma silpelits). Os silpelits por serem considerados inferiores, eram submetidos á maus tratos e serviam como cobaia, o que os tornavam incrivelmente alienados ( Vide capítulos finais do mangá, no arco da rebelião). Mariko que por ser filha de Kurama e ser considerada á cima da média, não serviu como cobaia. Nana era cobaia e seu futuro seria duvidoso se não fosse por Kurama. Já Lucy, era a rainha e a Diclonius mais preciosa, sendo somente encarcerada numa cela e presa em uma camisa de força, por ser altamente perigosa. 
  • Voltando ao foco, uma evidencia que essa teoria dos cientistas era furada, é o fato que mesmo após descobrir que seu pai, tratava uma outra Diclonius como se fosse sua própria filha, jamais intencionou fazer quaisquer coisa contra ele, alias, tudo o que ela queria era o reconhecimento dele, um abraço da única pessoa que ela amava. 

Número 03, irmã de Nana


O anime retrata isso de uma forma incrivelmente linda e emocionante quando apôs nocautear Lucy, ela pode ficar frente á frente pela primeira vez com seu pai. Chocado e apreensivo fica quem está assistindo e vê Kurama sacar sua arma para Mariko, digam se a expressão de surpresa em seu rosto não é de cortar o coração? Essa foi uma das cenas mais dramáticas e tensas de todo o anime, os diálogos dos personagens envolvidos (diga se Kurama e Nana) foram perfeitos, como também todo o ambiente onde a cena acontecia, onde podíamos ver na paisagem de fundo as luzes do belo farol de Enoshima. Mariko ter mantido Nana viva, mesmo com todo o ciúme que sentia ao ve-la tão próxima de seu pai, é mais uma prova que Kurama tinha todo o controle emocional sobre ela, que ela o aceitava como seu pai e lhe obedecia.



Kurama sabia que Mariko precisava morrer e não importa a forma como se encare isso, por mais triste que possa ser, eles jamais conseguiriam viver tranquilamente como uma família, seja pelo fato de ter explosivos implantados no corpo dela ou pelo fato de que Kakuzawa jamais os deixariam em paz. Porém os motivos de Kurama no anime e no mangá são bem claros, uma pessoa não pode continuar viva com todos aqueles poderes. A natureza é assim, humanos se sentem ameaçados quando se deparam com alguém ou algo que não podem controlar ou combater. Um olhar mais frio, seria algo como um leão ou qualquer outro animal selvagem vivendo livremente no meio das pessoas que se dizem civilizadas.



Eu particularmente acho o arco da Mariko muito mais bonito e poético no anime (síndrome de Romeu e Julieta?), mesmo que as diferenças entre as midias não sejam tão gritantes, o fato de Kurama morrer ao lado de Mariko, estando com ela até ultimo momento de sua vida (e quando passa todo aquele flash mostrando como que seria uma vida feliz da Mariko, ao lado de seus pais e podendo viver como uma criança qualquer) não á abandonando, foi muito lindo.


Já no mangá, as coisas acontecem de uma forma um pouco diferente, á começar quando ela chega á Enoshima e fica frente á frente com Nana. Mariko chega á fazer todas aquelas atrocidades com ela, com o diferencial que Nana não é arremessada  ponte abaixo e sendo salva por Kurama. E antes que se possa piscar Mariko e Lucy já estão frente á frente, mas o local já não é mais o farol da ilha de Enoshima e sim a enorme ponte que une a cidade de Kamakura á ilha. Quando digo que prefiro o arco da Mariko retratado pelo anime, é somente no geral, porque não posso deixar de observar que o confronto físico e verbal entre Mariko e Lucy é bem mais empolgante e tenso no mangá (então digo mais uma vez para quem acha que uma segunda temporada iria estragar o anime; seria perfeito uma segunda session ou um remake, quem não leu o mangá não faz ideia de como tanta coisa bacana ficou de fora).

Ressentimento profundamente reprimido

Como eu dizia, no mangá os acontecimentos em torno do arco da Mariko tem algumas diferenças em relação ao anime, Pra quem leu o mangá deve ter percebido que Nana sempre reage quando o assundo é Kurama, ela pode estar para a hora da morte, mas ela sempre ganha sobrevida quando seu querido "papa" se encontra em uma situação difícil (algo muito parecido acontece em Cavaleiros dos Zodíaco neh, sempre que Seiya ouve a voz de Saori seu cosmo reacende e...). Enquanto Mariko se diverte com seu corpo ensangüentado, Nana chama pelo seu pai, Mariko não perde tempo e lhe provoca, dizendo que logo irá encontrar o pai dela para que ele á faça companhia, foi mais do que suficiente para Nana se enfurecer e tirar forças do....é, e lhe da um soco derrubando á da cadeira de rodas e antes que Mariko pudesse reagir Nana usa sua melhor habilidade deixando-a incapaz de mover seus vetores.


- Mas a oneechan está tão forte!!
-Ela está dizendo, "papai,papai" com tanta emoção...
-Enguanto meu pai tentou me matar assim que ele notou os meus chifres!
-Ele queria mesmo me matar...

Palavras bem emblemáticas de Mariko, revelando a inveja que sentia de Nana, por achar que ela tinha um pai que á amava, não imaginando que o pai ao qual ela se referia se tratava de seu próprio pai biológico. Esse arco da Mariko no mangá se arrasta por varios capítulos e termina no último do volume 07, sempre carregados de muita emoção, dramaticidade e suspense. Mariko é uma personagem tão complexa quanto Lucy e é interessante notar o quanto elas se parecem; Ambas são terrivelmente sádicas, passaram por situações difíceis e suportaram tudo para que pudessem se encontrar novamente com as únicas pessoas que elas amavam verdadeiramente. Ao ver Nana nos braços de Kurama, ela se sente rejeitada mais uma vez e então se declara de uma maneira tão comovente e sincero que consegue mexer com os sentimentos de Kurama, que até então tinha a intenção de mata-la friamente. Mas Mariko entra em estado berseke ( fúria assassina) e está disposta acabar com tudo e é quando aparece o Bando como salvador da pátria e á pedido da Kurama resgata Nana. São eventos impactantes e cheios de reviravoltas interessantíssimas. Umas das partes mais mais surpreendentes é quando Mariko arranca o braço de Isobe-kun -assistente, que estava com o dispositivo que impedia que a bomba implantada em seu corpo explodisse- mas se o código não fosse digitado em menos de 3 minutos seu corpo explodiria e então que ela se mostra arrependida e faz um discurso comovente e trata-o com ternura. Esse gesto de Mariko acaba comovendo o pobre Isobe-kun que lhe passa os números, é então que ela revela para ele um sorriso maquiavélico no rosto e o chama de idiota. Assim ela nos mostra que não apenas é forte como também sabe chantagear e dissimular muito bem, mas será mesmo que tudo aquilo era um jogo? Acredito que não, ela apenas usou de seus reais sentimentos para conseguir atingir um objetivo, como diria o velho Chaplin: “Se você tivesse acreditado na minha brincadeira de dizer verdades, teria ouvido verdades que teimo em dizer brincando. Falei muitas vezes como um palhaço, mas nunca desacreditei da seriedade da plateia que sorria.”

Isobe no anime não foi tão humilde e acabou sendo punido pela Lucy

Os volumes 06 e 07 são um dos mais corridos e com mais cargas de informações no mangá, enquanto no arco cientifico, Kakuzawa seguia com seus planos inescrupulosos de transformar a humanidade em Diclonius Silpelits. Shirakawa agia nos bastidores servindo como espiã de Kurama e no arco principal Mariko era cercada por toda força da SAT ( policia especial japonesa, algo como a Swat e Bope), mas tudo não passava de plano para distrai-la e não é que ela percebe isso? Mostrando mais uma vez que o porque dela ser considerada mais perigosa que Lucy e é então que ela fica frente á frente novamente com Kurama, que a abraça fraternalmente e emocionado e diz que á ama. Isso era tudo que Mariko queria e precisa ouvir, palavras que ela jamais tinha escutado durante seus 5 anos de vida e por mais que ela seja poderosa e com uma raciocínio acima da média, ela ainda é uma criança e ter o amor e carinho de seu pai é tudo que lhe importa na vida. Mariko e Lucy são complexas acima de tudo por caminharem na ténue linha entre a maldade  e a inocência, por serem capazes de atos bárbaros, capazes de chocar qualquer um mas que no fundo apenas gostariam de poder viver uma vida normal e serem felizes.


Mariko também fala Nyu! ~ Nyu?



E no momento em que está abraçada á Kurama cai duas bombas misseis em cima dela e era esse o objetivo de toda a frota da SAT estar mobilizada ali, apenas ganhando tempo para que pudessem dete-la definitivamente e Kurama pretendia morrer junto com ela mas parece ter sido salvo no ultimo estante. As bombas lançadas em cima de ambos era falsas e logicamente que isso não seria suficiente para mata-la, mas o suspense permanece no mangá, deixando quem lê aflito e sem saber ao certo se ela está morta ou não e então é que acontece mais uma inesperada reviravolta na trama; Mariko não só consegue sobreviver como também assim como a Lucy, perde momentaneamente os sentidos e adormece dando lugar á uma outra personalidade. Agora ela também fala Nyu e é uma criança doce e amorosa, Kurama vê uma possibilidade de assim mata-la mas é persuadido por Nana que lhe diz qual é o papel de um verdadeiro pai:


  • "Um pais mata sua filha só porque ela é má?" 
  • "Ser pais é ensinar para seus filhos o que é errado, certo?"

É então que Kurama acorda para vida e vê a possibilidade perfeita de poder reconstruir sua vida ao lado de suas filhas, é um momento muito bacana no mangá e no meio de toda aquela adrenalina foi como um vento suave á bater no rosto. Mas sabemos muito bem que momentos de ternura e paz duram muito pouco numa obra de Lynn Okamoto e quando tudo parecia estar bem Lucy aparece como Nyu e é imediatamente detida pela equipe do SAT á pedido de Kurama. A humanidade está em perigo e no meio disso tudo se encontra Mariko e Nyu, alheias á todas essas confusões. Enquanto Nyu quer apenas arrastar Nana para comer ramen, Mariko simplesmente quer ficar agarradinha á seu pai, mas isso parece impossível pois o único caminho que alguns humanos conhecem para a paz é por meio de muito sangue derramado. O que acontece é que Lucy finalmente desperta quando Kurama dispara-lhe um projétil de bala, o mangá e os momentos finais de Mariko chegam ao climax finalmente, com o duelo entre as Diclonius mais poderosas que existem.

Duelo das mais poderosas e o momento mais sádico de Lucy

Ao ver que seu pai ta correndo risco, Mariko desperta e volta a ser a mesma de antes, bem...quase a mesma já que ela se mostra sinceramente arrependida e promete para Kurama que jamais vai matar alguém novamente e pede para que ele não tente mata-la novamente. Lucy que observa toda a cena não perde a chance de menosprezar Kurama e sua familia e é nesse momento que Lucy sente os punhos dos vetores de Mariko. O confronto no mangá entre as duas é completamente diferente da versão animada, mesmo porque nunca é demais lembrar que o anime termina bem antes de chegar nessa parte. Lucy está incrivelmente sádica, com seu mau humor habitual e vê em Mariko a oportunidade perfeita de poder se vingar de Kurama. Ela não quer simplesmente mata-lo, mas sim falo sentir tudo que já sentiu, mas Mariko não é tão fraca como aparenta e lhe dará trabalho, alias....daria trabalho se não fosse pela brilhante ideia de Shirakawa, que propos á kakuzawa que implantace explosivos no corpo dela. Com isso, Mariko tinha apenas mais de 1 minuto para digitar o codigo no dispositivo, mas não é que ele foi parar justamente aos pés de Lucy? Com esse trunfo á seu lado, ela não disperdiça a chance e faz com Mariko a mesma coisa que fez á Nana, lhe decaptando as pernas. Esse momento é mais de tensão do que qualquer outra coisa, mesmo com todo seu potencial, Mariko não foi capaz de se mostrar tão fria quanto Lucy diante da situação e acabou explodindo em sua ultimama tentativa de levar Lucy consigo.

Coração partido


Sem duvidas o arco de Mariko no mangá tem muito mais ação e ela ganha muito mais importância, além de momentos incrivelmente emocionantes, onde quem tinha uma visão de que ela era apenas uma criança com uma personalidade cruel, podê ver que todas as suas atitudes tinha embasamento, existia um motivo pelo qual ela se comportava daquela maneira. Mariko não é uma simples personagem vazia em que suas atitudes  cruéis não tem qualquer justifica aceitável. Ela tem uma história triste, ela não sabia o que era amor, nem carinho e nem sequer tinha visto alguma vez a luz do sol. Quando disse lá atrás que o final de Mariko no anime era bem mais bonito e poético, me referia ao fato de que no mangá sua trajetória é interrompida de maneira abrupta e claro, vidas de pessoas acabam assim á todo momento e em todo o lugar. Mas se tratando de uma obra, você sempre acaba caindo mais para o lado que te despertou mais emoção e o anime nos causa tudo isso. Se por um lado faltou mais espaço e tempo para sua trama, por outro pudermos curti-la com trilha sonora de primeira qualidade e um conforto de que mesmo morrendo, não morreu sozinha e pode estar até o ultimo momento ao lado da pessoa que realmente lhe importava. É triste, mas é bonito. Contradição? Claro que não. Mariko consegue ser uma personagem muito querida e praticamente unânime entre todos os fãs do anime e mangá, ainda me lembro da primeira vez que assisti o anime, ainda não tinha lido o mangá e por isso o impacto foi bem maior. Quando Kurama apontou sua arma para ela, lembro perfeitamente que meu coração apertou na hora e suspirei aliviada quando ele abraça e a toma em seus braços para em seguida  fazer algo completamente inesperado. Quando a bomba explode, passa rapidamente um flash mostrando como seria a vida dela se tivesse crescido ou tido um oportunidade ao lado de seus pais, pausei e repeti essa cena varias vezes por que passa bem rapidinho. Espero que quem tenha lido, tenha achado legal a forma como resolvi falar da personagem e não importa quantas vezes escreva sobre ela, sempre irão faltar palavras que expressem realmente o que sinto. Demorou um pouco para sair um artigo sobre ela, por uma ser uma personagem mais complexa e com uma trama entrelaçada com outras de também muita importância.














 Momentos final de Mariko e Kurama
          




"Quem sabe eu ainda sou uma garotinha
Esperando o ônibus da escola sozinha
Cansada com minhas meias três-quartos
Rezando baixo pelos cantos
Por ser uma menina má...."

Waahh...não sei porque, mas acho que essa letra cai tão bem para a Mariko ~D



Screeshots



































AMV's sobre Mariko


                      

                      

22 comentários :

Anônimo disse...

kurama é pai da lucy aonde? '-'

Anônimo disse...

nao nao manolo kurama nao eh pai da lucy eh soh da mariko msm ^^

vicky bozoka disse...

nã ota escrito em lugar algum que ele é o pai da Lucy '-'

Demon disse...

o_O?? aonde vc leu isso?

Demon disse...

manda pa mim q eu kero ler tbm :p

Jhon Almeida disse...

aonde vc leu isso? [2]

Pra mim tá claro o texto, aliás outro belíssimo post, sou fânzasso desses posts de personagens que vcs fazem aqui. E é aquilo né, muitos julgam que ela é sádica e cruel, o que de fato é verdade, mas poucos param pra pensar na história dela, e entendem que ela era uma criança de 5 anos com tal inocência como qualquer outra criança "normal", com o agravante de não ser criada como uma "normal", que normalmente (quantos "normal"..rsrs) vai crescer aprendendo o que é certo e o que é errado. Se uma criança dessa idade gosta de arrancar asa de borboleta, atirar pedra em passarinho, amarrar bombinha no rabo do gato..imaginem uma com tal poder e criação.

Ps: Eu ri pra caralho com: "No anime ela possui 26 vetores e no mangá ela chega á ter 50 vetores (imaginem um hentai de Elfen Lied x_x)".
Eu tentei, foi estranho mas tentei..kkkkkkk

Fuizz!!!

Miyu disse...

Adorei! =D

GodTeacher disse...

calma gente eu só enterpretei uma frase errada ali em cima ._.
desculpa....

Jhon Almeida disse...

rsrs..de boa isso acontece, esquenta não.

Wellington disse...

aonde vc leu isso? [3]

pois é jhon concordo contigo todo mundo julga q ela no anime/manga é "má" mas ninguem para msm pra percebe o quao dificil é e foi a vida dela,mesmo aos 5 anos de idade,presa num lugar sem luz nem nada,condenada tadinha , ela keria um colinho po,um abraço,carinho,amor, enfim, uma vida "normal",coisa que eu axo q nao seria possivel mas só com o kurama axo q dava.Alias cara eu pensei tbm num hentai de 50 maos se eh q entendeu ashausausa ,mto tenso,como o sangue estaria presente...Bastante presente. '-'

Wellington disse...

alias malz pelo "aond vc leu iss" eu sakei dps q escrevi XP

Jhon Almeida disse...

huahuahua..50 mãos me lembrou o hentai "Samayou Midara na Lunatics", que tem uma cena meio bizarra que meio que parece com essa de "50 mâos" que a gente tá falando, só que um hentai de Elfen seria meio perigoso pra um cara né..hehe

Anônimo disse...

Caraca, revendo essa cena da Mariko e do Kurama, eu realmente chorei muito, sério mesmo, de escorrer lágrimas, sou sentimental demais ç_ç
Imagine no mangá então, chorei mais ainda...

Mariiko T-T

Anônimo disse...

Aliás, esqueci de dizer, Excelente post *-*
A Mariko também é uma das minha preferidas, ela realmente não é tão malvada quanto parece, ela só queria ser feliz, julgaram muito errado quando ela nasceu, mas o final não precisava ser tão trágico assim.. *chorando ainda*

Sakura disse...

fazia tempo que eu queria comentar essa materia, excelente, esta de parabens. Mariko é minha personagem favorita

Tuk-San disse...

... o estranho (da parte do estúdio) é que no anime a mariko tem cabelo rosa, e no mangá (de acordo com a capa 6) ela é loira...vai entender esses estúdios japones....

Biiah-chin disse...

minha personagem favorita ever e não só de elfen lied, mas de todos os animes.

Biiah-chin disse...

minha personagem favorita ever e não só de elfen lied, mas de todos os animes.

Tuk-San disse...

... o estranho (da parte do estúdio) é que no anime a mariko tem cabelo rosa, e no mangá (de acordo com a capa 6) ela é loira...vai entender esses estúdios japones....

Miyu disse...

Adorei! =D

Demon disse...

manda pa mim q eu kero ler tbm :p

NikkiNewmanin disse...

Muito kawaii :3

Postar um comentário

Os comentários deste blog são moderados, então pode demorar alguns minutos até serem aprovados. Deixe seu comentário, ele é um importante feedback.