domingo, 16 de janeiro de 2011

Freezing #02 - Comentando o episódio e um pouco do que é Freezing


Oi pra todo mundo, depois de fazer muita bagunça no domingo, não poderia deixar de dar uma passadinha por aqui e vamos aproveitar e falar sobre o segundo episódio de Freezing. Não sei se vou continuar comentando os episódios, mas por enquanto eu tenho tempo pra isso, então vamos lá. No episódio anterior vemos que Aoi Kazuya confunde a imponente Satellizer L. Bridgette, a "Rainha Intocavel", e por esse motivo, ela acabou sendo derrotada pela Ganessa Roland, personagem esta que conseguiu ficar ainda mais insuportável na versão anime.


O segundo episódio se resumiu á uma luta entre Satellizer e Ganessa, mais um desenvolvimento de uma possível relação de Kazuya com a intocável.  Ele que no começo do episódio já fica sabendo de sua derrota e tenta a todo custo pedir-lhe desculpas, mas Sattelizer que normalmente é sempre fria e indiferente, sente algo que não consegue compreender ao ser tocada pelo garoto. Ai surge Ganessa, que não está satisfeita de ter derrotada a numero 1 da academia, quer acabar com toda sua moral e tirar-lhe a vida. Mesmo que isso não seja permitido pelas regras da academia, uma vez que o festival é apenas uma simulação de batalha entre as pandoras, mas ainda assim a rivalidade entre essas duas é enorme (mais por parte da Ganessa). Mas Satellizer é uma oponente difícil de se derrotar, então Ganessa recorre ao "Modo Pandora", que só deveria ser usado em batalhas reais, seria algo como o despertar máximo das Pandoras. Satellizer então é pega de surpresa mais uma vez (estava com a cabeça nas nuvens por causa de kazuya @.@), completamente derrotada, Ganessa anseia por dar-lhe o golpe final e acabar com sua vida, quando Kazuya entra na sua frente, como um príncipe salvador, na tentava de  convence-la a deixar a Rainha que não é mais intocável em paz. Como era de se supor, Ganessa lhe da um chega pra lá, deixando Satellizer irritada, é ai então que ela desperta seu "Modo Pandora", para surpresa geral, já que aparentemente ninguém imaginava que ela pudesse fazer uso desse artifício. Satellizer L. Bridgette derrota Ganessa Roland  em modo pandora com um único golpe, mostrando porque é a mais poderosa. Depois temos ainda um prologo, com a aparição de mais uma personagem, Miyabi, "a devoradora de Limiters novatos".


Como podem ver, foi um episódio de poucos acontecimentos, mas com bastante ação. A adaptação está sendo, até certo ponto bem fiel, alterando a ordem de alguns acontecimentos e explorando mais o lado ecchi. O close em partes intimas das personagens, se tornou mais usual na versão anime, e mesmo que se utilize dessa técnica, que não cometam o mesmo erro de HOTD. Outra coisa que se pode reparar, é que a introdução é muito longa, e mesmo no mangá o que ajuda a suportar isso é o traço e as ótimas seqüências de lutas que acontecem. Fico pensando se isso pode funcionar bem em um anime, uma vez que já estamos no segundo episódio, e ainda está na fase de introdução. Até o momento com esses dois episódios, consumiram quase 2 capítulos do mangá, e se continuarem assim, vai demorar um pouco até que a história engrene. um ponto a se ressaltar, é que ao contrário do mangá, já estão deixando alguns flashbacks do passado de Kazuya e Satellizer, deixando ai um gancho interessante.


Freezing por ser um anime ecchi, muito ecchi, a versão animada poderia cair no lugar comum e tentar sobreviver apenas disso, mas aparentemente também parece haver uma preocupação em contar uma história, o que convenhamos é o mais importante, o resto é apenas fanservice e deve ser encarado como tal, um brinde para os fãs de ecchi e lutas incríveis. A explicação ao que aconteceu com o mundo, é bem vaga, assim como no mangá, como também é sobre o o que são as "Novas". Juntando isso, á alguns nomes incomuns, Freezing pode parecer meio complexo para alguns, mas digo que não é, somente a ordem dos acontecimentos que pode soar meio confusa. Alias, o enredo dessa trama, me lembra um pouco Evangelion (okay, pode parar de ler por aqui x.x), Freezing se passa em uma época, em que um fenômeno destruiu parte do mundo, com a aparição de monstros enormes e poderosos, capazes de destruir qualquer pessoa como se fossem nada. É ai que surgem as nossas heroínas,  que absorvem fragmentos dos monstros, que são chamados de Nova, e assim conseguem transformar em habilidades e armas. Essas são as Pandoras, que depois desse grande combate inicial (em que a irmã de kazuya acabou morrendo), fundaram a academia East Genetcs (Genética), nesse lugar elas podem treinar e formar exércitos. Nessa academia, elas desenvolvem armas para as batalhas, e apesar de que somente mulheres podem usar tais habilidades, as Pandoras precisam de um parceiro masculino, que são seus Limiters, que são capazes de gerar um campo de Freezing (campo AT de Evangelion?), que é capaz de travar as Novas e assim permitindo que as Pandoras os abrissem, fatiando os ao meio.


Mais uma vez, ao meu ver, o anime foi perfeito tecnicamente (eu não sou exigente quanto á isso, certo!?), a triha sonora entrando nos momentos certos e as seqüencias de ação e luta, foi um atrativo para o episódios, não da pra dizer que foi excelente, pois eu penso que na versão animada deveriam corrigir o erro cometido no mangá (manhwa), que é fato da introdução ser muito longa. Em questão de história, esses dois episódios deixaram um pouco a desejar, mas as lutas foram muito bem retratadas. Anseio para ver mais, uma vez que as batalhas no mangá são sanguinolentas e por vezes, com a possibilidade real do personagem vir a morrer. É uma pena, mas pode ser que o anime não chegue nos volumes atuais, em que a carnificina rola solta, com lutas desesperadas e empolgantes pela sobrevivência. Agora, aguardemos para ver o que os próximos episódios nos reservam. Ainda não é um anime que eu indicaria pra ninguém. Esses dois episódios foram "legais", e só.




3 comentários :

- biiαhђ« disse...

adorei

julio pq disse...

quer dizer que os Limiters servem para isso? Eu estava com uma outra ideia na cabeça. Tomara que apareçam logo essas ou esses tais de Novas e o protagonista entre em ação. Eu por enquanto to gostando e não tem nada de absurdo comparar com EVA, realmente tem alguma coisa que lembra, principalmente nessa paradinha ai de Novas = Anjos e Limiters= Evas ou os pilotos

Roberta Caroline disse...

É Júlio. Mas também é só até ai que dá pra comparar neh?

Postar um comentário

Os comentários deste blog são moderados, então pode demorar alguns minutos até serem aprovados. Deixe seu comentário, ele é um importante feedback.