terça-feira, 8 de março de 2011

Garota revolucionária Utena: Um conto de fadas dark


Hoje é dia internacional das mulheres e estive pensando se teria alguma coisa oportuna pra falar aqui, aproveitando este dia (até parece que sou engajada na causa). Não me ocorreu outra coisa se não este tema: Conto de fadas Sombrio. Há, e por mais que o mundo do etretenimento japonês esteja cheia de obras assim, nenhuma é tão original e polêmica quando Revolutionary Girl Utena (Shoujo Kakumei Utena). Até mesmo pelo fato de que, a protagonista desse anime, é que mais se enguadra nos padrões de mulheres modernas. Utena é rebelde, revolucionária, sonhadora, carrega grandes dores e desilusões, mas sem nunca deixar de estampar um sorriso no rosto.

Mas eu disse ali que Revolutionary Girl Utena era um conto de fadas macabro, certo? Ai você via me dizer, claro que não, é um shoujo. Há, exatamente por isso que eu disse que se tratava de um anime original e que se sobressaia a todos as obras do mesmo estilo, pois realmente o anime não aparenta ser o que é, surpreendendo a todos.



Shoujo Kakumei Utena nos trás uma história de fantasia, drama, romance e muita polêmica. Na trama são tratados temas capazes de fazer qualquer moralista ficar boquiaberto. Tá achando Madoka Mágica a última bolacha do pacote? Então experimente um anime que nos trás em sua narrativa incesto, homossexualismo, lesbianismo, erotismo, personagens introspectivos, complexos de inferioridade, ciúmes doentios, morte, uma trama que acontece em um lugar desconhecido, em um tempo indeterminado, onde nada é concreto e a única coisa certa, são os personagens que ali estão, interagindo entre si e fazendo a trama andar, tal como em Durarara, pode esperar uma linha narrativa solida, que apesar de dispersa, no final se revela com todos os fatos interligando entre si. Podemos citar também Evangelion e todo aquela mensagem sublimar que teima em ficar escondida, sob toda a aparente complexidade e questionamentos que a série apresenta. Estamos falando de algo simples e singelo; sonhos e desilusões perdidas, que tal como em Evangelion, também fica de forma velada sobre uma trama que abusa de temas complexos.


Sim, o plot central de Shoujo Kakumei Utena é um clássico mindifuk (literalmente, Fode Mentes. Em tramas, pode se dizer que é algo que fica meio escondido e poucos conseguem encontrar o real significado para aquilo, as vezes é inusitado e outras, aterrorizante), mas o anime tem tantos episódios, que algumas tramas são exploradas e esticadas ao limite, trazendo como brindes, um ou outro episódio que são puro slice of nada (ainda que muito bons). 

Resuminho


A trama, segue de perto a jovem Utena Tenjou (que dá titulo ao anime), que acabara de perder seus pais e se viu completamente só no mundo. Desesperada, a pequena Utena, sai correndo no meio da noite em meio a chuva. Completamente solitária, Utena acaba ficando frente a frente com um misterioso príncipe, que mantém a face oculta e se aproxima da garotinha e beija lhe os olhos marejados de lágrimas, e entrega um anel com um intrigante símbolo em forma de uma rosa.  Ele a diz que: "Minha pequena, que suporta sozinha tamanha dor. Nunca perca esta força e nobreza mesmo quando você crescer. Presenteio você com este anel, para que lembre-se de mim, quando nos encontrarmos novamente. Um dia, este anel a guiará até mim."


Com o objeto de encontrar o misterioso príncipe novamente, Utena resolve deixar escondida toda sua dor e se tornar uma garota forte e jamais chorar. Anos depois, ela ainda tem as lembranças de infância, mas passados tanto tempo, agora ela só se lembra do príncipe pelos cheiro das rosas. E então depois de receber uma série de telegramas misteriosos, resolve entrar para a Academia Ohtori e lá acaba formando novas amizades e muitas inimizades. Para defender sua melhor amiga, que foi vitima de Saionji depois que este tornou publico a carta de amor que a garota havia lhe escrito, a humilhando perante toda a escola,  Utena o desafia para um duelo na floresta.


O que Utena não podia imaginar, é que ao desafia-lo para um duelo, entraria definitivamente em um caminho sem volta, onde o nonsense, o drama e a arte, bailam na mesma pista. Utena vai ao local combinado e dentro da floresta, descobre um portão imenso, onde a fechadura era o símbolo de uma rosa, tal como em seu anel. Mais curiosa que a Alice (aqueeeeeela Alice do Pais das Maravilhas), Utena encaixa seu anel, no símbolo da rosa presente na porta e se vê diante de uma imensa escadaria. Depois de percorre-la, Utena chega até a arena de duelos, onde Saionji a espera juntamente com Himemiya Anthy, que é tida como a Noiva da Rosa. Ela coloca uma rosa nos bolsos dos dois duelistas e diz que o primeiro que tiver as rosas cortadas, e o vencedor a receberá como prêmio (@.@).


Utena vence o duelo e ganha posse da noiva da rosa, que se muda de mala e bixinho de estimação para a casa dela. Mas as coisas não acabam por ai. É só o inicio de uma história fascinante, que transformou esse anime, é merecido clássico da animação japonesa. 

Desenvolvimento

Shoujo Kakumei Utena é um anime de desenvolvimento lento e que trabalha bastante todos os seus personagens (e acredite, são muitos @.@). Utena tem um total de 4 arcos, trabalhados em incríveis 39 episódios, um numero que para a época, era bem comum. A trama citada por mim, faz parte do arco do Conselho Estudantil, que funciona mais como uma introdução para a trama e seus personagens.


Mesmo que em Utena, datas é algo completamente incerto, o fato dela ser inspirada em outro grande clássico da animação japonesa - A Rosa de Versalhes - pode se supor que a trama ocorra no perido do século XVII, onde o uso de espadas era bastante comum. Em quase todo episódio acontece um duelo, onde um participante do conselho estudantil (ao qual, Saionji fazia parte) desafia Utena. O motivo? A noiva da rosa, Himemiya Anthy, que é prometida á aquele que vencer. Ela desempenha um papel importante no duelos e tem uma ligação forte com o Castelo no Céu e a Espada de Dios. O possuidor da noiva da rosa, tem direito a Espada de Dios e conseqüentemente ao Castelo no Céu. Com um poder tão grande em mãos, o possuidor da espada, pode até dominar o mundo inteiro e ter seu desejo mais impossível realizado.


Mas para isso, é preciso vencer todos os duelistas, até não sobrar mais nenhum. E com essa formula shounen/mecha repetido a exaustão todo episódio, Shoujo Kakumei Utena, corria o grande risco de se tornar intragável ou apenas mais um anime shoujo qualquer no estilo garota mágica. Isso se não fosse as mãos habilidosas e talentosas de Kunihiko Ikuhara ( Sailor Moon, Nodame Cantabile e Aoi Hana), diretor do anime, que foi o responsável direto pela trama ter ganhado ares tão sombrios na narrativa e com efeitos e fotografia surreais somados a trilha sonora forte e que prepara o público para o que está por vim. Se fosse pra indicar algo bem próximo de todo o cenário gráfico de Utena, seria o igualmente fascinante Puella Magi Madoka Mágica, guardada as devidas proporções, claro. 

Logo após, temos o arco da Rosa Negra, que foi criado especificamente para o anime e não existe no mangá. É totalmente original e divide opiniões. Basicamente, é sobre um tipo de lenda urbana, sobre 100 estudantes que foram mortos em um grande incêndio num prédio antigo da Academia Ohtori. Um duelista misterioso aparece e implanta uma rosa negra nas pessoas, fazendo as duelarem contra Utena. De interessante mesmo nesse arco, é a forma como os personagens são apresentados ao entrarem em contato com a rosa negra, emanando para fora todo sentimento de angustia, depressão ou ódio que a pessoa sente.


No terceiro arco, intitulado Akio, finalmente o enredo se volta para o desenvolvimento de sua trama principal, provocando reviravoltas e situações inusitadas no roteiro. É neste arco também, que os temas mais polêmicos são desenvolvidos, como incesto e onde a viagem surrealista de Shoujo Kakumei Utena se torna ainda mais usual e gráfica. Akio é um novo e intrigante personagem introduzido na trama. Gostaria de me aprofundar em sua personalidade, pois é um dos personagens masculinos mais marcantes e fortes que já tive o prazer de assistir, mas isso seria soltar spoilers que prejudicariam e muito a visão de quem está assistindo. Ele é um sedutor que tem uma incrível habilidade com as palavras. Ele que foi capaz de algo que parecia impossível, fazer Utena, uma garota feminista e muito esperta, suspirar de amores e ficar em dúvidas sobre o objetivo que tem desde criança; se encontrar novamente com seu príncipe. Aqui temos a oportunidade de ver a face mais feminina e insegura de Utena, que começa a sentir os efeitos colaterais que uma paixão pode trazer e com isso, ficando cada vez mais vulnerável e distante do príncipe. 

O anime se utiliza de varios flashbacks no decorrer da história e em cada um deles, podemos ver uma versão mais detalhada de toda a infância de Utena. Com isso, a cada novo flashback, descobrimos algo novo e revelador, até o ponto onde podemos ver o enredo todo amarrado de uma tal forma, que nos faz perguntar porque não imaginamos tudo aquilo antes.


 Apocalipse é o titulo do quarto e último arco do anime. É aqui onde todas as conexões que ainda era um mistério junto ao publico e se encaixam na embaralhada, confusa e aparentemente sem sentido trama de Shoujo Kakumei. Todas as memórias de Utena vem a tona e enfim ela e nós podemos vislumbrar o que de fato aconteceu. O principe realmente era aquele que estamos acostumados a ver em contos de fadas ou um lobo mau? Podemos também constatar o quão falhas são nossas memórias e que muitas vezes, acabamos modificando ou criando algo que simplesmente não ocorreu de verdade ou pelo menos da forma que achavamos. O titulo Apocalipse não é por acaso e com ele, o verdadeiro significado de Revolucionar o Mundo é revelado 

Esse é sem dúvidas o melhor arco e o mais troll. Os eventos ocorridos nele é uma verdadeira bomba que explode ao seu lado e te deixa completamente atordoado. O que você achava que sabia, cai completamente por terra diante de um show efeitos que mereciam, pediam, imploravam pra ter a disposição todos os recursos existentes hoje em dia. O final? Não vou dizer claro, mas ainda é impossível pra mim imaginar qualquer coisa mais elaborada sobre o fim. Mas varios boatos e teorias acerca disso, criado por fãs que não se conformam em não ter entendido o final. Assim como em Caverna do Dragão e mais recentemente Lost, o que se discute é que todos os personagens estavam mortos e aquele cenário atemporal da série, na verdade era o purgatório (eu me divirto com isso x.x).


Revolutionary Girl Utena ou Shoujo Kakumei Utena (como você preferir), foi e é uma ótima série, tida por muitos como o Neon Genesis Evangelion dos shoujos, não é demérito nenhum fazer tal comparação. O diretor do anime, Kunihiko Ikuzara sempre foi muito próximo de Hideaki Anno (Há quem diga que eram bem amigos, vai saber) e ainda há o animador Hasegawa Shinya ( supervisor de animação de Neon Genesis Evangelion). Shoujo Kakumei bebeu em varias fontes, como o fato de ter sido fortemente inspirado pelo anime A Rosa de Versalhes (clássico shoujo dos anos 70 e obrigatório pra quem curte animes históricos) e quem assistiu ambos os animes, sabe que Utena tem muito da Oscar e não fica por ai as comparações. 


Personagens

Os personagens são marcantes e complexos. Posso dizer que nenhum deles é o que parecer ser, tendo seus dramas e conflitos pessoais devastados por Kunihiko Ikuhara. Seja Nanami, uma vilã trágica e cômica com sua paixão incestuosa e ingênua por seu irmão, o mulherengo e manipulador Touga ou o complicado e trágico triângulo amoroso em que Juri se encontra com seu admirador e sua melhor amiga,Shiori. Para os que se deliciam com romances platônicos, este é um prato cheio e depressivo.


Durante o anime, é perspectivel a presença de varios enigmas que tornam Utena um anime realmente cabeça, com referências a Jung, Freud, Cícero, Shakespeare. Muitos deles são jogados no ar pelas carismáticas e enigmáticas garotas que só aparecem nas sombras durante todo o anime. Só o que sabemos é que se intitulam A-Ko, B-Ko, C-Ko e mais a frente, também há rápida participação de E-Ko e F-Ko. Além de fazerem varias citações de obras famosas ou apenas "charadas", elas fazem um coro grego, comentam todos os acontecimentos (algumas vezes de forma divertidas e outras com um ar de provocação que é impossível não esperar pelo pior) e contam segredos. Elas dão um ar totalmente teatral a aparição que fazem, que te fazem lembrar das famosas tragédias gregas. 

Temos Kaoru Kozue, que é completamente desequilibrada, irmã gêmea de Miki. Ela na verdade nutre uma paixão doentia pela irmão e chega a ficar com varios homens, na tentativa de atrair a atenção do irmão. Temos Wakaba que é a melhor amiga de Utena no anime. Ela é doce e ingênua e por possuir um coração assim, acaba sendo usada e manipulada por Saionji.


Akio, como já disse, meu personagem masculino preferido em muitos. Por toda sua importância dentro da trama, é impossível aprofundar-se mais. Ele é irmão de Himemiya Anthy, a misteriosa e fria noiva da rosa. Ela, juntamente com Utena, é centro de todo o enredo. Anthy que é extremamente introspectiva e submissa, desperta em Utena uma vontade de protege-la e a ter por perto. Utena que por sua vez, no período em que a história do anime acontece, tem 14 anos e o seu jeito de vestir e falar chama a atenção de todos, pois não era considerado normal, que uma garota se vestisse como homem. Ela é tomboy, boca dura (pessoa que não tem papas na língua, fala o que bem entender). Esse seu jeito cool, corajosa e por ser uma garota de atitude acaba atraindo muitos fãs e admiradores, entre os homens e as garotas. Utena e Anthy acabam desenvolvendo um certo relacionamento afetivo, que nunca chegou a ir as vias de fato no anime (ao contrário do filme, onde as duas realmente se envolvem fisicamente), mas nada que não fique bem subtendido, afinal, Utena é um verdadeiro principe e se veste como tal, Anthy, como dito, se comporta como uma verdadeira esposa. 

É injusto citar apenas esses, mas é simplesmente não da pra comentar sobre todos. Mas digamos que esses são os que mais se destacam ao meu ver.

Tecnicamente

Trilha sonora? Excelente. Difícil não se encantar com músicas que conseguem marcar em cada cena que são executadas. A OP e ED é o tipo de abertura e encerramento que consegue enganar e provocar quem assiste, sobre a real natureza da história. Infelizmente, Utena teve um orçamento bem baixo. Mas ainda assim conseguiu dar a volta por cima nesse pequeno detalhe e conseguiu inovar, usando baixissimos recursos. Apesar de ser um anime de 1997, a animação remete ao inicio dos anos 90 ou até mesmo final dos anos 80. O resultado disso, é a quantidade enorme de cenas reutilizadas e reaproveitadas a exaustão. Mas funciona bem, conciliada a obscuridade, complexidade e as situações surreais da trama criados por  Ikuhara. 


Mangá e Movie

Pode se dizer que mangá e anime apareceram quase ao mesmo tempo. A diferença é de poucos meses entre a estréia do mangá e logo após o anime. Descontente com a falta de crontrole criativo, Ikuhara deixou a Toei e o anime de Sailor Moon (na época, estavam na quarta temporada) para formar seu próprio grupo criativo, o Be-Papas, formado por ele, a famosa mangaka Chiho Saito, Hasegawa Shinya e  Enokido Youji. Toda a idéia original saiu da cabeça de Ikuhara, ficando com o controle criativo do anime, enquanto Enokido Yoji adaptava o roteiro do anime para o mangá, Chiho Saito ficava a cargo dos desenhos. 


O resultado são varias diferenças entre mangá e anime. E como todo mangá que acaba derivando da animação, perdeu e muito toda a carga dramatica e o complexo apresentado no anime, se resignando a uma trama bem light e comum. O mangá realmente vale pelos desenhos de Chiho Saito, que são lindos, mas em questão de roteiro, fica devendo. 


No filme, que recebe o nome de dolescence Mokushiroku, é de 1999 e tecnicamente é muito superior. Foi feito uma adaptação, apartir da trama apresentada no anime, mas resumindo e criando novas nuances para os personagens. No filme Utena se veste de homem, mas nada é dito sobre encontro dela com o príncipe, ocorrido no anime. Enquanto no anime, mesmo ela se vestindo de homem, continua sendo uma garota, a procura do seu principe, no filme ela renega tudo isso. Inclusive, o yuri entre ela e Anty é algo bem presente e dessa vez, de forma clara. 

Conclusões finais

Shoujo Kakumei Utena é um clássico. Sendo um clássico, pede para ser assistido. O ideal seria que a série tivesse no máximo 30 episódios. Mas particularmente não tenho do que reclamar, pois ao menos os episódios que não diziam nada, foram bem divertidos de se acompanhar, fazendo com que o anime possa ser apreciado, mesmo por aqueles que, não entendem nada do que se passa nele, pois os personagens por si só, já conseguem prender sua anteção. E bem, existem perguntas ali que simplesmente não existem respostas, quer ver? Por que o Miki fica cronometrando coisas o tempo todo? Por que a Utena em determinado episódio se transforma em um carro? Quem são as garotas sombra? E mais, um dialogo carregado de acidez entre Utena e Anthy enquanto as duas tomam chá, que se não prestar ateção nas entrelinhas, pode te deixar no vácuo; "Diga me, Utena-sama...você conhece a cantarella?" Utena; "Cantarella? O que é isso?" Ao que Anthy responde; "Foi usado pela familia Borgia na Itália, muitos anos atrás. Um veneno. Então, está gostando do biscoito? Eu mesma os fiz." Aqui há uma paradinha, onde Utena continua comendo seu biscoito, com uma inquietante música instrumental ao fundo que continua numa crescente e para bruscalmente, recomeçando. E em seguida responde: "Que coincidência,...pus veneno no seu chá." A trilha continua aos solavancos com as duas personagens em silêncio, uma verdadeira cena antologica, feita pra brincar com os nervos dos mais passionais. Como sou fascinada com o mundo do suspense, adoro cenas onde o autor, desafia o expectador a estar dois passos a frente que ele. Imperdível. 


11 comentários :

Carlírio Neto disse...

Saudações


Serei muito sincero: é uma das melhores reviews de animes que li em muito tempo.

Parece-me que o anime de "Utena" possui uma estória repleta de desafios. Contudo, tratam-se de desafios quase únicos, onde o que realmente vem à importar é o fator carisma.

Mas esse "carisma" é carregado por um ambiente hostil e medonho. Parece até com um certo anime que está em exibição atualmente...

Graças à esta review, procurarei saber mais sobre este anime.

Congratulações.

Até mais!

Moranguinha disse...

Eu gosto desse tipo de anime. A sua resenha está ótim, li tudo rapidinho.
PS: Eu conheço Rose of Versailhes, na época o traço bem parecido com CDZ. Mas nem se compara.

Jhon Almeida disse...

Caramba hein Roberta, dessa vez vc se superou garota. Concordo totalmente com o Carlírio, é uma das melhores reviews de animes que li em muito tempo.
Por causa do seu review vou dá uma conferida nele apesar de ter 39 episódios e ficar difícil acompanhar muitos episódios atualmente (lista mais acumulada impossível hehe), adoro esses finais que "muita gente" não entende e fica teorizando depois. o/

E já que citaste Rose of Versailhes, Sado Tarou tem algo a dizer:

OOOOSSSSCAAAAAAAAAAAAAAAAAARRR!!!!!

Jones disse...

Realmente sem palavras pra descrever essa review, realmente esplendido. E é claro que quando vc trabalha tanto para demonstrar a todos que é um anime que merece ser visto, eu é que não vou poder fazer a desfeita de não sair correndo atrás deste shoujo que parece ser o marco de todos do estilo. Claro que Sailor Moon é a referencia do shoujo, mas não me parece ter nem a metade da profundidade de Utena. Quem vai ficar feliz com os epi que vou baixar de Utena é minha mãe que adora Sailor Moon e Honey Honey rs. Carol valew por mais uma indicação. E viva as mulheres, sem elas o que seriamos né?!? rs
Bju me liga...

Ph.T disse...

Perdoe-me se esse post soar piegas ou algo do tipo, mas sinto-me na obrigação de o fazer.

Normalmente eu não sou o tipo de pessoa que dá muito valor aos desenhos e quadrinhos japoneses. Digo isso porque, desde criança, sou mais apegado aos quadrinhos europeus e americanos. Sempre julguei as histórias dos nossos irmãos orientais como infantis. Entretanto, alguns desenhos (e o próprio Elfen Lied foi um deles) contribuíram efusivamente para mudar meu conceito em relação à essas mídias.

Muito devo agradecer à esse blog (que admito não saber bem ao certo como cheguei aqui, pela primeira vez), que desde que eu o descobri, tenho visitado diariamente. Mais específicamente suas recomendações das histórias de horror e terror, gênero que muito me fascina.

Ocupo meu tempo livre entre trabalho e faculdade mergulhando num universo sobrenatural fantástico e singularmente macabro. E tenho que agradecer à vocês por isso.

Se me permitem dizer, ainda acredito que, em alguns aspectos, os orientais ainda pecam (ainda acredito que ainda lhes faltam uma provável sutileza para criar algo como "Sandman"). Mas digo, com enorme alegria, que estava errado em relações ao teor de suas histórias.

De um homem que só agora, aos 22, descobriu que havia um mundo infinitamente singular e fascinante escondido em páginas lidas "de trás para frente",
Ph.T

Roberta Caroline disse...

Só tenho a agradecer, OBRIGADO minna.

@Carlírio: Tenho certeza que iria gostar e muito desse anime.

@Moranguinha: Verdade, o chara designer é parecido pois foi feito pelo mesmo cara responsável pelo designer dos personagens de Cavaleiros.

@Jhon: 39 episódios em dias de correria é insano, mas nada como esperar baixar a poeira né. HUAHUAHUAHUAAHUA Oscaaaaaaaaaaaaaar. Isso me lembra preciso ver o resto dos especiais de MM.

@Jones: Também acho viu Jones, a diferença começa no fato de que SM é originalmente pra um público infantil (e assim gerar brinquedinhos e bugingangas) e Utena não.

@Ph.T: Sinceramente, fico muito feliz. O universo do entretenimento japonês é imenso, mas nem tudo ganha destaque. Espero que tenha sorte, embora vá encontrar séries ruins e medianas, espero que também possa tomar conhecimento das que são realmente excelentes. P.s; Adoro Sandman.

M.A.C. disse...

Nossa, fiquei realmente interessado em assistir esse anime.
Eu já baixei quase tudo o que foi comentado aqui e gostei de tudo que vi. Tenho certeza que não vou me arrepender com esse novamente.
Continue comentando mais animes e mangás Roberta-chan. Tudo que você comenta eu realmente gosto. Temos um gosto um tanto parecido nessa área.
Esse comentário (esta mais para um depoimento) acima é bem legal.
E... Você poderia comentar um pouco também sobre o Rose of Versailhes Roberta-chan.
Seria legal. Só uma ideia !!!

Roberta Caroline disse...

Utena é muito bom viu MAC. E obrigado :)

Rosa de Versalhes faz 40 anos ano que vem, quem sabe néh. Valeu pela dica, adoro quando dão sugestões.

Ph.T disse...

Perdoe-me se esse post soar piegas ou algo do tipo, mas sinto-me na obrigação de o fazer.

Normalmente eu não sou o tipo de pessoa que dá muito valor aos desenhos e quadrinhos japoneses. Digo isso porque, desde criança, sou mais apegado aos quadrinhos europeus e americanos. Sempre julguei as histórias dos nossos irmãos orientais como infantis. Entretanto, alguns desenhos (e o próprio Elfen Lied foi um deles) contribuíram efusivamente para mudar meu conceito em relação à essas mídias.

Muito devo agradecer à esse blog (que admito não saber bem ao certo como cheguei aqui, pela primeira vez), que desde que eu o descobri, tenho visitado diariamente. Mais específicamente suas recomendações das histórias de horror e terror, gênero que muito me fascina.

Ocupo meu tempo livre entre trabalho e faculdade mergulhando num universo sobrenatural fantástico e singularmente macabro. E tenho que agradecer à vocês por isso.

Se me permitem dizer, ainda acredito que, em alguns aspectos, os orientais ainda pecam (ainda acredito que ainda lhes faltam uma provável sutileza para criar algo como "Sandman"). Mas digo, com enorme alegria, que estava errado em relações ao teor de suas histórias.

De um homem que só agora, aos 22, descobriu que havia um mundo infinitamente singular e fascinante escondido em páginas lidas "de trás para frente",
Ph.T

Jones disse...

Realmente sem palavras pra descrever essa review, realmente esplendido. E é claro que quando vc trabalha tanto para demonstrar a todos que é um anime que merece ser visto, eu é que não vou poder fazer a desfeita de não sair correndo atrás deste shoujo que parece ser o marco de todos do estilo. Claro que Sailor Moon é a referencia do shoujo, mas não me parece ter nem a metade da profundidade de Utena. Quem vai ficar feliz com os epi que vou baixar de Utena é minha mãe que adora Sailor Moon e Honey Honey rs. Carol valew por mais uma indicação. E viva as mulheres, sem elas o que seriamos né?!? rs
Bju me liga...

O Mundo escuro de Morringhan disse...

Super resenha!Utena é mais um dos muitos títulos que ainda não assisti em bora esteja há um bom tempo na lista. Mas posso dizer tranquilamente que esse seu post re-despertou meu interesse e portanto tratarei logo de agilizar ver esse anime. Amo estórias bem feitas. E amo os animes com maior quantidade de episódios, claro que quando se tem o que dizer, ao contrário de muitas séries gigantes mas que tratam de absolutamente "nada"...acho que isso deve trazer à mente de todos diversos títulos...mas não vou citar os nomes e_ê

Postar um comentário

Os comentários deste blog são moderados, então pode demorar alguns minutos até serem aprovados. Deixe seu comentário, ele é um importante feedback.