quarta-feira, 6 de abril de 2011

[Mangá] Ga-Rei: Review, impressões e críticas

Yo! Eu adoro a temática sobrenatural, ainda assim dificilmente sairei comprando todo mangá que aborda sobre o folclore japonês e suas místicas criaturas, principalmente shounens porradeiros infinitos como Bleach ou até mesmo Kekkaishi ( "Mestre de barreiras"), que é um mangá com um enredo que se passa no período feudal japonês e é repleto de criaturas espirituais. A série fala sobre Sumimura Yoshimori que é descendente de uma familia de Kekkaishis que exterminava demônios, leia-se, eram exorcistas. Kekkaishis são conhecidos como Mestres das Barreiras, que como o próprio nome sugere, são capazes de criar barreiras espirituais e defender a população dos Ayakahis, que são criaturas noturnas. No caso de Kekkaishi, ele se distancia bastante de Bleach, sendo bem mais próximo de Ga-Rei. Ambos são aquele tipo de shounen comédia, com uma levada de romance, nas duas séries os protagonistas são um casal e precisam lidar com monstros. Bem, Kekkaishi é bem agradável, mas o que me afasta é o numero de edições, que ainda tendo sido finalizado com 32 edições, me tomaria um espaço que já está reservado para Nurarihyon no Mago. Logo, colecionar Ga-Rei é algo que não eu poderia deixar de fazer, por gostar do titulo e principalmente por ter apenas 13 volumes finalizados.



Como podem ver com a minha introdução, a temática que Ga-Rei aborda não é nova e está presente em diversas séries, mas este titulo em especial, ao contrário do que tenho lido muito por ai, se distancia bastante de Bleach - ao qual tem em comum, além do sobrenatural, espíritos de pessoas que continuam vagando no mundo humano, podendo ser devorados por monstros - e se aproxima mais de Nurarihyon no Mago no quesito de desenvolvimento da trama e personagens, deixando a ação mais pra um segundo plano e observe que mesmo durante a ação - que costuma durar pouco - o enredo ainda continua em destaque. E Ga-Rei ainda tem uma leve pegada ecchi e um foco nos relacionamentos. O ideal para quem ainda não teve a oportunidade de ler a história do mangá, é começar pelo anime ( que inclusive fiz uma resenha sobre ele AQUI), assim tudo fica mais natural e claro, você poderá ver a trama com um outro olhar. Tá certo que normalmente quem sai do anime, querendo achar no mangá algo parecido, acaba se decepcionando e perdendo o interesse ja de cara, já que em Ga-Rei-Zero a trama é mais densa, a cumplicidade e rivalidade de Yomi e Kagura é o ponto alto e gerou um grande carisma  das personagens e o plot central acabou ajudando a elevar uma simples trama sobre exorcistas a um nível mais além. No mangá o posto de protagonista ser de Kensuke Nimura, que está longe de ser tão carismático e um grande personagem, somando com uma trama mais light e genérica, ajudam e muito que Ga-Rei com o passar do tempo, fosse apenas mais um nome nas portas do ostracismo. Mas isso não importa, vejamos como o mangá Ga-Rei se saiu em seu primeiro volume.

A trama

No mundo, há diversas pessoas morrendo a todo instante, mas nem todas conseguem encontrar seu caminho e acabam vagando eternamente ou pelo menos, até o momento em que serão devorados pelo miasma (bem resumidamente e sem muito mimimi, miasma seria energia negativa que algumas pessoas exalam) e acabar se tornando um espírito maligno ou  ser devorado por algum. Kensuke Nimura é um jovem que desde sempre consegue enxergar espíritos de pessoas e criaturas demoníacas (se você se lembrou imediatamente da Misao de Black Bird, parabéns por ser um aficcionado por histórias com yokais), o que acaba prejudicando e muito a vida e os relacionamentos amorosos do rapaz. Pensem, que garota gostaria de ficar com um rapaz que começa a falar sozinho em publico ou a espancar algum ser invisível? E é exatamente o que acontece quando ele esta em um encontro e um espírito começa a importuna-lo. Então ele resolve partir pra cima do fantasminha e chama a atenção de todo mundo, deixando sua namorada completamente envergonhada. Isso me lembra e muito as situações hilariantes em que o Watanuki (de XXXHOLiC) se metia sempre que saia na rua e era perseguido por espíritos de todo o tipo. Da mesma forma que com Watanuki, Kensuke também atrai bastante espíritos, desde malignos até aqueles que não conseguem encontrar seu caminho para a paz.


Chutado pela namorada e completamente desiludido, Kensuke acaba se cruzando com Yomi Isayama, que ao ser tomada pelo poder da pedra sesshoseki, acabou sendo morta pela sua quase irmã, Kagura Tsuchimiya e se transormando completamente num espírito maligno. Yomi envia vários espíritos atrás do rapaz e no meio da correria, o caminho dele acaba se cruzando (ou talvez seja melhor dizer...; acaba se trombando) com o de Kagura Tsuchimiya em uma seqüência de quadros simplesmente incrível e bem planejada. Se, esses encontros que acontecem em quase todo o inicio de história já está para lá de clichê, ao menos a maneira como esses dois se encontram e tem seus caminhos cruzados foi bem desenhada e desenvolvida. Ao ir parar bem na frente da vespa de Kagura, na colisão os dois acabam se beijando "acidentalmente" e aquele clima e tensão sexual já está estabelecido. Também já fica nítido o quanto Kensuke é pervertido, ao ser ajudado por Kugara - que estava com uma micro saia - e este ficar "viajando" (literalmente) em sua calcinha. E isso vai ser bem comum com o desenrolar da história. Kensuke acaba desenvolvendo uma certa paixão por ela e começa a imagina-la com ele em diversas situações (que diga se de passagem, são situações nada românticas ).

No meio da correria, os dois acabam indo parar em um local sem movimento, onde Kagura se prepara para fazer o exorcismo do espírito, mas acaba presa em um gosma expelida por ele, momento mais propicio para nosso protagonista ecchi mostrar serviço; E mesmo com medo e com vontade de correr, ele tenta mesmo, afinal deixar uma garota para trás naquela situação é muito vergonhoso. Mas o máximo que ele consegue é pegar uma espada que fora deixada no local e soltar as mãos de Kagura para que ela pudesse praticar o exorcismo. Bom, essa é a introdução da história e a partir deste momento, Kagura e Kensuke se tornam mais próximos, ela o recruta para a "Prevenção de Desastres Naturais" - um órgão secreto do ministério do meio ambiente - e começa a treina-lo, os dois acabam se tornando parceiros e embarcam em varias missões juntos .

Arcos e futuro da história

Ga-Rei possui apenas 3 arcos de histórias, o primeiro se trata do desenvolvimento da trama de Yomi, uma grande amiga de Kagura que ao ser possuída pela pedra sesshoseki, acaba provocando uma grande matança, eliminando seus colegas de trabalho da agência de "Prevenção de Desastres Naturais" e provocando a morte do pai de Kagura. Por isso se faz muito importante assistir o anime Ga-Rei-Zero, que como o próprio nome sugere, é o inicio de tudo e lá poderão ficar sabendo de mais de detalhes sobre essa trama que envolve Yomi e Kagura. Nesse primeiro arco, se faz presente Izuna Noriyuki, que era o namorado de Yomi, quando ela era ainda apenas uma exorcista de uma poderosa família e agora se tornou uma anti-heroína trágica, Noriyuki deseja acabar com seu sofrimento e manda-la de vez para o outro lado.


Como eu comentei lá em cima, no mangá Yomi já esta morta e agora é apenas um espírito maligno, sua morte se deu ainda no anime, pelas mãos de Kagura que até se encontrar com Kensuke, estava sempre solitária e sem um parceiro. Kagura que no mangá é retratada de uma maneira mais leve, ela está mais sorridente e mais extrovertida, sua timidez ficou definitivamente no passado (ainda que seja possível ver, que ela ainda possui um certo ar introspectivo), juntamente com Yomi. Isso porque Ga-Rei conta a história sob uma perspectiva mais bobinha e light, sendo um mangá que trabalha um grupo de exorcistas que limpam e protegem o Japão dos espíritos. Isso tudo sobre a perspectiva do jovem Kensuke, que ao lado de sua parceira, Kagura, irão se aventurar cada vez mais nesse mundo místico.


O segundo arco, é o Juugondo, que é um seita liderada por Shizuru Imawano. De alguma forma (lá lá lá), ela acaba se sentindo atraída por Kensuke e o flerte rola solto, deixando Kagura extremamente  enciumanda irritada. Tudo se resume praticamente por uma disputa entre as duas, onde aquela que coletar mais sesshoseki irá ter Kensuke como prêmio. Claro que há todo um desenvolvimento e reviravoltas na trama que eu não irei comentar, pra não estragar o divertimento de ninguém. O terceiro e ultimo arco, se chama Naraku, que é uma trama que começa com Kagura sofrendo amnésia. Ainda que Ga-Rei, não possua um plot central como foco, tendo em cada arco, quase que uma história fechada, não vou comentar este pra por conter muitos spoilers acerta do inicio da história e que vão se desenrolar com o desfecho do mangá.

Fim prematuro, Críticas e serialização 

Ga-Rei foi cancelado, ficando com apenas 12 volumes encadernados, dando um fim muito cedo na obra idealizada por Hajime Segawa (sendo este, seu primeiro mangá). Mesmo o mangá ganhando um anime, que tinha a intenção de impulsionar as vendas, a coisa toda parece não ter dado muito certo. E muito disso se deve ao próprio Segawa, que em determinado momento se perdeu na história. Se inicialmente e com o primeiro arco de histórias, que ainda sendo sem tanta intensidade consegue de uma forma divertida causar afeição nos leitores. Já na metade e em seu segundo arco - lá pelo volume 6 - a magia parece ter desaparecido, com um arco "méh" (mostra a língua) e a história declinando lentamente. E assim, uma grande parte dos leitores se sentiram decepcionados, resultando em baixas vendas e ainda com uma tentativa de dar a volta por cima no arco a seguir, a história simplesmente não convence.


Sim minna, o problema em Ga-Rei é bem simples de ser diagnosticado. O primeiro arco de histórias faz sucesso devido a uma boa trama, com bons personagens - ainda que Kensuke sempre é bem raso, desde o inicio - como Kagura, Yomi e vários secundários. Ga-Rei pareceria ter um foco e através deste a trama caminhava habilmente. Mas com o desfecho do primeiro arco e introdução de um novo não tão convincente, degringolou tudo. Ainda houve mais tentativa no último arco, de resgatar algo do primeiro e salvar o barco, mas também não convenceu e só deixou aquele grande "WTF" no ar. Ter Kensuke como protagonista principal ao invés de Kagura, também não foi de grande ajuda, já que as atenções sempre foram todas nela. Poderia ter se trabalhado mais em cima das pedras sesshoseki, que poderiam ter dado um bom pano pra mangá.

Ga-Rei foi serializado pela editora Kadokawa Shoten na revista mensal Shonen Ace. A série foi iniciada em 2005 e finalizada em 2010, com 12 volumes lançados, mais um spin-off intitulado; Ga-rei - Tsuina no Shou. Se trata de uma side story que acontece em Kyoto e destaca Takiguchi Tsuina, uma garota possuída por uma maldição de traz desgraça a todos aqueles que ela se apaixona. É uma história que fala sobre dois personagens que apareceram nos volumes finais de Ga-Rei,  Takiguchi Tsuina e Mikado Mine - este faz parte do grupo de exorcistas e o garoto que Tsuina acaba se apaixonando - e desenvolve mais a fundo o relacionamento dos dois.

Provavelmente a Jbc deverá lança-lo, assim como fez em outras oportunidades - como em Vídeo Girl Ai - e assim todos poderão ficar contentes com a coleção completa.

Bestas espirituais 

Ga-Rei é uma técnica usada por algumas - importantes - familias de exorcistas, que consiste em invocar uma besta espiritual que é capaz de devorar todos os espíritos que estiverem ao redor. Kagura possui o Byakuei que é conhecido como Inugami (espírito capaz de possuir humanos), ele é um imenso dragão branco, que ela mantém preso por meio de correntes espirituais e quando seu Byakuei se fere, ela também sente a dor. Ele foi selado em tempos antigos e tem sido passado para o chefe da família Tsuchimiya por gerações. Um ritual longo é necessário para selar Byakuei dentro do destinatário. O Byakuei nunca é completamente liberado, caso ele se liberte do selo, poderia devorar o seu dono. Pra mante-lo se-lado, é preciso ter uma grande força espiritual, para resistir as investidas do Byakuei, que quando está com fome tenta quebrar o selo que o prende a pessoa. Inevitalmente em algum momento, a pessoa que carrega esta besta dentro de si, não vai mais possuir energia espiritual capaz de manter o selo e assim sendo nescessário, transferi-lo para outra pessoa, no caso o principal herdeiro da família.


Outros personagens também se ultilizam de uma besta, como Yomi que mantém junto a si o Ranguren - conhecido também como Nue - que é um leão com varias caudas em forma de serpentes E Shizuru que mantém o Kuroford, que depois de Byakuei é a besta mais forte. Os confrontos mais bacanas acontece com personagens que detém estas bestas espirituais. É aquela velha forma no estilo Pokemon, onde se coloca animais para lutarem por você ou para atacar algum adversário.

Conclusão

Como puderam ver, Ga-Rei não tem nada de especial, apenas mais uma história bacaninha que em determinado momento acaba se perdendo, mas que ainda assim não deixa de ser história divertida e leve. Nesse ponto, podemos dizer que também se assemelha muito com Bleach, com a diferença que quando a história perdeu seu frescor, foi finalizada e assim, resguardando na memória de quem leu, os bons momentos que a história proporcionou. Pra quem curte o tema, é um titulo bom para ter, ainda que não seja do tipo "obrigatório ter". A arte encanta, muito linda e com cenários bem reproduzidos. A ação é bem desenvolvida e acontece de forma ágil, com uma solução e logo em seguida partindo pra uma nova sub-trama. Hajime Segawa desenha muito e se sobressai na hora de ilustrar momentos de ação, com quadros bem detalhados e a arte tomando toda a página. Como eu disse, o mangá tem uma pitadinha de ecchi, mas não é nada extremo, pelo contrário, uma calcinha aqui e ali e algumas situações mais provocantes, mas nada muito detalhada, sendo desenhado propositalmente de forma superficial, mas eu não veria problemas se fosse uma abordagem mais clara, como no anime, onde os seios das personagens aparecem detalhadamente.


Esta é daquelas obras com enorme potencial desperdiçado, assim como Tokko (ver post aqui), que também pecou logo no inicio não introduzindo uma linha narrativa sólida, capaz de prender o leitor, deixando as histórias muito soltas. Os personagens no geral são bons, mas lhes faltam algo que lhes dê mais profundidade, isto é visto principalmente em Kensuke, unanimidade nas críticas. A abordagem do tema, poderia ter sido mais aprofundada, o que sem dúvidas faz a trama de Kekkaishi - comparando, devido a semelhança - superior. Ai você pergunta como posso indicar algo que estou esculachando tanto. Bem, os pontos fracos estão ai, assim como os positivos, eu gosto bastante desse mangá - talvez, devido mais aos personagens oriundos do anime, do que por qualquer outra coisa - mas sou conhecedora de suas limitações, como também sei que se trata de um bom mangá pra quem procura algo divertido e rápido.


A edição da Jbc está melhor do que eu imaginei, sem grades exageros - a principio - nas gírias (e olha que há espaço de sobra pra isso), um edição razoavelmente boa capaz de agradar quem não é tão exigente, afinal está bem básico e dentro do aceitável para os padrões brasileiros ( :/ ), a tradução está fluente e notas nos rodapés estão perfeitas, sem muito exagero de informações, está o básico do básico como deve ser. Não tem sumário, o que em dúvidas faz falta nesse tipo de mangá. Ainda que acho bem prático as notas rápidas dos rodapés, um sumário mais desenvolvido seria excelente também. Eu odeio as fontes usadas pela Jbc, são sempre iguais e dificilmente acontecem variações. Algumas fontes simplesmente não combinam com o ambiente destacado no quadro do mangá e dá uma impressão falsa de ter sido feito de fã pra fã. Mas isso tudo são apenas pequenos detalhes, sério, não há nada que atrapalhe a leitura. O post acabou ficando enorme, mas acredito que esteja completo, já que não pretendo mais falar sobre Ga-Rei por aqui. Não esperando demais e gostando do estilo humor+ação+shounen+romance tudo junto e misturado, pode acabar criando uma forte empatia com o titulo.


Volumes: 12 + 1 spin-off
Autor: Hajime Segawa
Revista: Shonen Ace
Demografia: Shounen
Gênero: Ação, Comédia, Romance, Sobrenatural, School Life
Ano: 2005/2010

6 comentários :

julio pq disse...

Vou ter que te agradecer mais uma vez Roberta-san, eu estava curioso e meio receoso sobre esse mangá. Na verdade eu queria saber mais sobre a trama além de uma simples sinopse e graças a vc ter feito isso, eu já me decidi. NÃO VOU COMPRAR. Como a grana ta apertada, vou priorizar lançamentos que realmente me interessam. O anime Ga rei zero é foda, mas o mangá parece não ter nada de interessante.

Lamb-Desu disse...

eu já tinha lido o mangá online. Começa muito bem, mas vai ficando bem ruim já pela metade, eu não comprei, pois considero bem dispensavel. Como assim não tá comprando Kekkaishi? Esse mangá é muito bom e foi encerrado recentemente, você não sabe o que está perdendo.

AtOon disse...

Gostei muito do anime, e sempre pensava em conferir o manga, só que na época acabei desistindo por ainda estar em publicação.
Agora que sei que acabou fiquei a vontade de ler o manga bateu novamente, mesmo com as falhas apresentadas parece valer a pena.
Agora só resta uma dúvida: como o fato de ser cancelado influenciou o fechamento do manga. Claro, ficar um pouco apressado é normal nesse tipo de situação mas fora isso algum outro grande problema?

Roberta Caroline disse...

Ah, não. Nenhum grande outro problema >__<
Eu mesma, sabendo das limitações da obra, pretendo fazer toda a coleção.

julio pq disse...

Vou ter que te agradecer mais uma vez Roberta-san, eu estava curioso e meio receoso sobre esse mangá. Na verdade eu queria saber mais sobre a trama além de uma simples sinopse e graças a vc ter feito isso, eu já me decidi. NÃO VOU COMPRAR. Como a grana ta apertada, vou priorizar lançamentos que realmente me interessam. O anime Ga rei zero é foda, mas o mangá parece não ter nada de interessante.

Anônimo disse...

acabei de ver o anime (q ja esta no meu top 10) e estava indo ver o manga para saber da historia inteira, mas este post me alertou pra uma possivel decepção no final da leitura x] e os comentarios tbm

obrigado pelo post ^_^ mt bom

Postar um comentário

Os comentários deste blog são moderados, então pode demorar alguns minutos até serem aprovados. Deixe seu comentário, ele é um importante feedback.