segunda-feira, 11 de abril de 2011

Steins;Gate #01 - Primeiras impressões


Steins;Gate originalmente é uma visual novel desenvolvida pelas produtoras Nitroplus e 5PB, que também desenvolveram Chaos;Head (ver resenha aqui). Ambas as séries se passam no mesmo universo, porém não tem muitas relações entre ambas, a não ser a cidade onde os eventos caóticos acontecem. E é após um ano desde os acontecimentos de Chaos Head que se inicia a trama de Steins Gate, na movimentada Akihabara, onde Rintarou Okabe vai a uma palestra para uma suposta "revelação" de uma teoria que permitiria viagens no tempo através de uma máquina. O problema é que a teoria supostamente não passava de um plágio de outra teoria já existente. Okabe – ou Okarin, como a fofa da Mayuri gosta de se referir a ele, ainda que este prefira ser chamado de Hououin Kyouma – é um cientista louco (literalmente hahaha) e está sendo procurado por uma suposta “organização”. Ao adentrar no prédio, ele sente fortes freqüências de ondas magnéticas, seria um ataque da organização? Bom, deixe eu dizer que o inicio da novel não é tão confuso como no anime e ainda que esteja tudo caótica em volta, com informações imprecisas, você consegue entender o básico da trama. No anime é possível perceber os ruídos altíssimos no áudio, que se referem a isso e ficam zumbindo em quase metade do episódio, com a ausência de quaisquer música de fundo, ao meu ver isso foi ótima tacada.


Eu vou me dar ao direito de chamar este cientista maluquete de Okarin, certo? Então, antes que Okarin pudesse concluir sua linha de pensamentos sobre as estranhas ondas magnéticas, ele ouve um estrondo, vindo do terraço do edifício. Era um mini-satélite que acabara de ser deixado ali, será que este teria uma ligação com a suposta revelação do Dr. Nakabachi sobre a teoria de uma maquina que seria capaz de fazer viagens no tempo?


Logo após discutir com o Dr. Nakabachi e sua teoria que parecia ter sido copiada de outro autor, Okarin é puxado da reunião por Kurisu Makise que começa um papo muito estranho, sobre ele querer lhe dizer alguma coisa a quinze minutos atrás. Mas como se Okarin nunca se encontrou com Kurisu antes? Obviamente ele se comunicou com ela sim por mensagens de texto, mas isto só seria revelado nos minutos finais do episódio, deixando uma gancho formidável para o próximo. Okarin é completamente maluco e sua reação ao desconfiar que Kurisu poderia ser uma enviada da “organização” – ou agência, como foi aderido por alguns subs – é completamente ensandecida e me lembrou bastante as caras e bocas do Jim Carrey. Ele foge da garota e acaba se encontrando com Mayuri que tinha perdido seu mascote (Metal OOPA) ganho na máquina de gashapon, mas logo escuta gritos estranhos de um homem vindos de uma sala. Ao verificar do que se tratava, descobre o corpo de Kurisu em uma poça de sangue, ela havia sido assassinada.


Okarin foge com Mayuri e já fora do prédio, escreve uma mensagem de texto informando o que acabara de acontecer e tudo ao seu redor muda de repente, todas as pessoas de Akihabara desaparecem, deixando o local deserto. Mas logo após tudo volta ao normal e outra surpresa, o mini-satelite acabara de fazer um enorme estrago no terraço do edifício, ficando a ponto de cair sobre a rua, como isso foi acontecer? Aguardamos respostas. Seria Okarin um esquizofrênico e sofrendo dos mesmos distúrbios de Takumi (Chaos;Head)? Acredito que não, apesar do seu gênio peculiar, como se auto-proclamar cientista louco, chefe de uma laboratório de pesquisas que na realidade não existe e é formado por ele e seus amigos, Mayuri e Hashida Itaru. O cara é completamente leleu, ele fala sempre com a voz altiva, tem uma gargalhada bizarra e quando estar muito animado ou confuso, puxa o celular e começa a falar como se tivesse um cúmplice do outro lado da linha.


A história gira em torno dele e de seus amigos do laboratório, que tende a aumentar. O prólogo desse primeiro episódio foi bem confuso e abrupto. O episódio se divide praticamente em duas frentes, sendo na primeira metade o destaque para toda essa teoria e certa paranóia, envolvendo o grupo de Okarin e a misteriosa organização que os persegue, sendo esta a Sern. Uma empresa que esta pesquisando sobre máquinas capazes de viajar no tempo.


Na segunda tempos a inserção da invenção de Okarin, um microondas capaz de enviar mensagens de texto para o passado. Mas até o momento sua intenção era bolar uma máquina capaz de viajar no tempo e para isso, ele sempre faz uso de bananas. Alias, essa parte foi ótima, incluindo a brincadeira que Hashida faz com a ingênua Mayuri sobre bananas moles. Através do celular Okarin consegue previamente ajustar o microondas e é ai que está o segredo disso tudo, que para nós já é claro mas que para Okarin permanece como sendo uma grande incógnita. Afinal, ele não sabe que sincronizando seu celular com o microondas, consegue enviar mensagens de textos para o passado. E é por meio de uma mensagem assim que ele consegue alterar todo o presente, salvando a vida da Kurisu (já que a mensagem que ele havia escrita, acaba por ser enviada ao passado), que aparece no final do episódio vivinha da silva, deixando um gancho formidável para o próximo.


Todo esse lance de viagem no tempo, pode transformar a obra num verdadeiro queijo suíço, cheios de furos no roteiro – e assim foi com Tsubasa Reservoir Chronicle das meninas do CLAMP, que transformaram a obra num autêntico mindfuk, errando e muito a mão em seu final, tornando-o quase que incompreensível em alguns momentos – mas felizmente isso não acontece com Steins Gate, que já está finalizado. Mesmo que tudo pareça bem confuso, o plot é interessantíssimo e a verdade vai se revelando cada vez mais a medida que a história avança e tudo se encaixa assustadoramente. O ritmo está muito corrido e me faz imaginar que talvez pretendam abordar toda a história e 24 episódios apesar de ser um bom numero pra uma série desse porte, ainda precisarão correr, adaptar e omitir alguns fatos para tornar a história bem enxuta. As tramas que Steins Gate trabalha são muitos boas, trabalhando em cima de varias teorias, que são todas baseadas na ciência moderna.


Personagens


Os personagens de Steins Gate são muito bons, começando com Rintarou Okabe (vulgo, Okarin) que se auto proclama cientista louco e chefe do laboratório (um quarto muquifo onde se reúne com os amigos pra bolar teorias). Ele tem 18 anos e é bem divertido, tem a mania de dramatizar tudo. Destaque para Mamoru Miyano (que é muito gato, vocês não fazem idéia rs), ele dublou Light Yagami em Death Note e Masaome em Durarará. Ele conseguiu dar vida ao excêntrico cientista de forma brilhante.


Makise Kurisu é a heroína principal de Steins Gate, uma gênio bishoujo especialista em ciência neural. Ela que retornou dos Estados Unidos para dar uma palestra sobre suas descobertas acerca de transferência de memória humana. Embora ela nunca ria admitir isso, ela é uma tsundere, sendo uma das personagens mais estereotipada da série, mas é uma das melhores e minha preferida (ao contrário de muitos que se renderam aos encantos da doce Mayuri). Ela tem 17 anos e sua introdução na série acontece no momento que cruza com Okarin, logo no inicio do episódio, sendo esfaqueada em seguida e reaparecendo, dando inicio a essa misteriosa trama.



Shiina Mayuri é uma garota muito tímida, sendo o alivio (não diria cômico) de toda a tensão habitual da trama. Ela é a amiga cabeça oca de Okarin, ambos se conhecem desde a infância. Esta sempre com a cabeça nas nuvens e se ar ingênuo e infantil, lhe permite interromper as brigas que acontecem no grupo. Tem como hobbie, criar modelitos de cosplay, assim como uniformes e quando não está no laboratório, esta no local onda trabalha meio período, um maid-café.



Hashida Itaru, aka daru é o braço direito de Okarin, cursaram juntos a faculdade (ainda que não tenham convivido juntos todo o tempo), ele é o personagem nerd e otaku do grupo e como tal, foi retrato bem gordinho e de óculos, super estereotipado. Mas gosto desse tipo de personagem.

Ainda teremos a presença de Urushibara Ruka, colega de Mayuri e que é uma miku (sacerdotisa). Eu não sei se devo relevar o grande segredo desse personagem...melhor não. Amane Suzuha, uma garota misteriosa e que trabalha metade do dia em um estúdio de TV. Ela gosta de mountain bike e está sempre de collants. Apesar de ser sempre amigável com todos, tem um certo rancor de Kurisu. E pra finalizar temos Ferris NyanNyan, também misteriosa e é colega de Mayuri no maid-café. Ela aparece sempre de nekomimi e termina suas frases com um sonoro ~ Nya. De todos, ela é a única que pode com Okarin, se é que vocês me entendem (em termos de loucura).

Conclusão
Bem, apesar de corrido e confuso para aqueles que não jogaram ou não em conhecimento de nada que acontece na VN, esse primeiro episódio já se mostra um incrível potencial a ser explorando nos demais. Realmente seria muito precipitado condenar a série somente por um inicio em que é preciso pensar um pouco mais, o que já deixa algumas pessoas meio chateadas (mania dos animes fest foods, onde se assiste um episódio e já passa pra outro). Mas eventuais respostas irão surgir, assim como mais perguntas e tendo um numero de 24 episódios, a tendência é que o ritmo diminua um pouco.

Hacking to the Gate" de Kanako Ito - Adorei a escolha da trilha sonora, Kanako Ito tem uma voz linda e a melodia de sua música combina bem com Steins Gate. A animação ficou excelente e fiel á original, que transmite toda a essência da série, com tons obscuros e ao contrário de Chaos Head, não entrega a trama, ainda que dê dicas importantes do que estar por vir. Steins Gate esta sendo nomeado por mim como Fringe dos animes (há). 

A qualidade da animação é excelente, fluente e solida. Para aqueles que Assistiram Black Roock Shooter e perceberam que o estúdio White Fox usou um estilo artístico semelhante em Steins; Gate, muito se deve ao artista sobre o pseudônimo de Huk, que também foi responsável pelo character designer de BRS. A trilha sonora é a mesma do jogo, embora raramente foi usada nesse episódio. Mas com certeza podemos esperar por um conjunto de OST’s excelentes. No mais, isso não fez tanta falta, pelo contrario, os ruídos tantos das cigarras quanto das ondas eletromagnéticas ficaram excelentes e contribuiu e muito para o clima. Quanto ao ritmo, obviamente quiseram confundir o expectador e ainda que muita coisa do prólogo tenha sido suprimido, já quiseram fazer toda a introdução em um episódio e terminar com o cliffhanger de Kurisu reaparecendo viva, deixando uma gancho ótimo para o episódio seguinte.


Tokitsukasadoru Jūni no Meiyaku de Yui Sakakibara - Um J-Rock bem popzinho dá o tom do encerramento, que contem uma animação bem simples mas que produzida de forma competente, soando bem psicodélica. 


A direção de Hiroshi Hamasaki e Takuya Sato está bem afiada (ainda que eu não goste desse recurso de complicar algo que pode ser mais simples e ainda assim causar um forte impacto. Isso se o próprio prólogo na novel já não fosse um tanto quanto confuso. Ou seja, desnecessário complicar ainda mais) e os dois tem experiência de sobre em animes de suspense psicológico (ou sejam, em tramas malucas e confusas). Takuya Sato trabalhou por exemplo em Serial Experiments Lain e Hiroshi Hamasaki trabalhou em Texhnolyze, Paranoia Agent e Perfect Blue. São profundos conhecedores desse ramo da animação e com experiência de sobra, então as expectativas são altas e tudo leva a crer que não voltará acontecer o mesmo que em Chaos Head, que tinha uma animação ridícula e com tão poucos episódios, se distanciou perigosamente do original e acabou de uma forma que desagradou a muitos.

OP da Visual Novel


Tipo: Tv
Episódios: 24
Gênero: Sci-Fi , Thriller, Suspense
Produção: Frontier Works , White Fox

11 comentários :

julio pq disse...

FODA FODA FODA, li o post em questão de minutos, muito bom o anime e um post assim é bom pra situar um pouco sobre tudo que aconteceu, parabéns. Eu estou esperando que seja um dos melhores, junto com Deadman Wonderland, Blue Excorcist nem chega perto.

'Hiig disse...

Eu fui o primeiro a assistir, baixei 2 minutos depois de ser postado noo Animakai, eu achei massa ese stein... tava esperando a mto tempo

Borbs disse...

Iroha e Steins estão sendo até o momento os melhores animes da temporada, mas ainda tem muitos por vim. Mas só pelo primeiro episódio, tem sim bastante potencial.

Lamb-Desu disse...

Eu acho que esta muito cedo pra oba oba ainda, prefiro esperar até o terceiro episódio e ver como o anime se estabelce, por enguanto, dos que eu estou assistindo, ele ta em sexto lugar. Também acho que não precisa ser tão confuso e a qualidade tecnica do anime até que não deixa a desejar.

Jones disse...

Só tenho uma coisa a dizer sobre esse anime: FODASTICO.

OZZY disse...

foderoso, adoro animes de tematicas assim, o povo é que já fica tudo pertubando só pq não tiveram respostas para o que queriam, mas calma ai, elas virão.

dante samsara disse...

nossa ta mais promissor que chaos;head
adorei

Moranguinha disse...

vou esperar sair o episódio 2 pra poder ver tudo junto, até agora estou gostando muito da receptividade do anime, parece que vou adorar :3

Iilia disse...

Starts off with tons of questions, that will take the whole series to explain... art style is pretty good... Though the main char gives me the impression of a Bipolar Schizophrenia.. just saying xD

MARCELO disse...

Vai comentar todos os episódios? Seria bom já que esse anime é meio confuso

Roberta Caroline disse...

talvez...não sei ^_^

Postar um comentário

Os comentários deste blog são moderados, então pode demorar alguns minutos até serem aprovados. Deixe seu comentário, ele é um importante feedback.